Primeiro end

Aline (WCF/Richard Gray 2014)
É ele, na maioria das vezes, que impede um resultado mais justo para o Brasil no Mundial de Curling de Duplas Mistas. Não que poderíamos esperar muitas vitórias - afinal, sabemos da nossa inexperiência e da importância dessas derrotas para o aprendizado. A questão é que muitos placares não condizem com a realidade justamente por conta do período inicial da partida. 

Nesta madrugada, no antepenúltimo jogo brasileiro no evento, aconteceu mais um exemplo. Um primeiro end ruim custou não só a vitória, mas um placar elástico para a Letônia: 10 a 3, sendo que quatro pontos adversários aconteceram logo na primeira etapa. 

Depois disso, o Brasil equilibrou a partida contra o forte time letão. A representante feminina, por exemplo, é Dace Regza, vice-capitã da equipe no último Mundial por equipes. Perdeu os ends seguintes, é verdade, mas todos por um ponto. Fez seus três pontos no sétimo end, mas com a chance de vitória já perdida, os dois times resolveram abrir mão do último end para descansar para as próximas partidas. 

Foi a própria Aline, em entrevista ao site oficial do evento logo após a vitória contra o Cazaquistão, que alertou sobre a necessidade brasileira de começar bem a partida. Quando isso aconteceu, o time conseguiu manter a calma e administrou muito bem a vitória. 

Restam dois jogos: a penúltima partida será contra o Canadá, ainda nesta segunda-feira, às 12h30. Amanhã, às 7h15, enfrenta a Eslovênia para decidir quem fica na última posição do grupo. Se o Brasil conseguir mais uma vitória e escapar da última posição na sua primeira participação internacional no curling, o feito será digno de título mundial!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.