Passou a tempestade

Marcelo e Aline durante partida contra a Escócia (WCF/Richard Gray 2014)

O lado bom de enfrentar duas das maiores potências do curling logo de cara na primeira participação internacional é poder ter um certo descompromisso pelo resultado. A falta de treinos, de preparação e de tradição jogou todo o favoritismo para Suécia e Escócia, os rivais do Brasil nos dois primeiros jogos do Mundial de Duplas Mistas, que começou ontem em Dumfries, Escócia. 

Os placares eram esperados: 13 a 1 para os suecos no primeiro jogo e 14 a 1 para os donos da casa na segunda rodada brasileira. Ninguém esperava que a dupla brasileira, composta por Marcelo Mello e Aline Gonçalves, pudesse vencer essas duas partidas. Ainda mais com tantos fatores jogando contra. 

No caso do jogo de estreia, contra a Suécia, os brasileiros sentiram um nervosismo normal para quem estava pela primeira ao lado da elite do curling. Foram quatro ends com uma dificuldade maior para acertar as jogadas e o rival aproveitou: abriu 9 a 0 nos quatro primeiros ends. 

No quinto end, os brasileiros inverteram as posições e conseguiram acertar mais jogadas, com destaque para um duplo take-out feito pela Aline e que resultou no único ponto brasileiro na partida. O equilíbrio seguiu no sexto e sétimo end, mas a tradição sueco, atual vice-campeã mundial, falou mais alto para fechar o placar. 

O cenário se repetiu no jogo contra a Escócia, exibido pela Sportv. Os donos da casa aproveitaram a maior experiência e conseguiram abrir 10 a 0 nos quatro primeiros ends. Destaque para a jogadora Gina Aitken, a mulher com o melhor aproveitamento do Mundial até o momento. Com jogadas espetaculares, ela conseguiu tirar diversas pedras brasileiras em boas posições até para marcar pontos na partida. 

Marcelo Mello (WCF/Richard Gray 2014)
Dessa forma, restou ao Marcelo e à Aline equilibrarem a partida e conseguirem arrancar um ponto no quinto end. No sexto, a Escócia conseguiu mais quatro pontos e os dois times resolveram abrir mão dos últimos períodos. 

"Sabíamos que tínhamos caído no grupo mais difícil e que as nossas duas primeiras partidas eram contra as melhores duplas. Mesmo assim, estamos confiantes para o restante do campeonato. O Mundial de Duplas Mistas pode ser o início de um grande trabalho no Curling brasileiro", disse Matheus Figueiredo, superintendente técnico da CBDG no site oficial. 

Apesar dos resultados, a confiança é explicada pelas ótimas estatísticas dos jogadores brasileiros. Marcelo possui um aproveitamento de 63%, sendo o 16º índice dentre os 34 competidores homens  na segunda rodada. Aline conseguiu 52%, sendo a 26ª entre as mulheres. Números que impressionam se levarmos em conta a total inexperiência dos atletas no ambiente internacional.

Se repetir o desempenho desta sexta-feira contra duas duplas de elite, o Brasil pode jogar de igual para igual contra outras seleções do grupo, como a Estônia, Eslovênia, Finlândia e Letônia. Aliás, o confronto contra Eslovênia pode ser decisivo para fugir da última colocação: o país perdeu suas três partidas realizadas até aqui. 

O próximo jogo será neste sábado, contra a Estônia, a partir das 7h15 no horário de Brasília. Para os atletas brasileiros fica a certeza de que a tempestade já passou. E como diz aquele velho ditado, depois dela sempre vem a bonança!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.