Vida além dos Jogos - Neve #2

Neste caso não seria vida além dos Jogos, mas algo como preparação para Olimpíadas futuras. Nesta parte estamos falando das promessas que ainda não possuem idade, mas certamente brigarão pelos Jogos de 2018 e 2022. 

Nathan Alborghetti, Michel e Clara Macedo no esqui alpino e Gabriela Neres no biathlon participaram de provas na Europa e EUA. Tudo para que daqui quatro anos eles possam brigar pela vaga olímpica também. Veja os resultados. 


Irmãos Macedo

Michel Macedo é uma das principais promessas do Brasil no esqui alpino e não é à toa. Com 16 anos, ele segue com bons resultados em provas regionais nos EUA. Ele participou de três provas entre os dias 16 e 19 de fevereiro e sempre ficou perto do pódio na classificação geral. 

No dia 16, numa prova de slalom gigante, o brasileiro ficou na 6ª posição da categoria sub-16, com o tempo de 1min21seg13, pouco mais de um segundo atrás do vencedor da prova, Nathan Gunesch. 

No dia 17, no slalom, Michel ficou na quarta posição, com o tempo de 1min23seg44, apenas 34 centésimos da medalha de bronze - o vencedor novamente foi Nathan Gunesch. Por fim, no dia 19, ele ficou na sexta posição geral do Super G e foi o terceiro na sua faixa etária. Conseguiu o tempo de 52seg29, quase um segundo atrás do vencedor geral, o americano Tyler Ellis. 

No dia 23, foi a vez de Clara Macedo disputar uma prova de slalom gigante no Oregon. A brasileira ficou na sexta posição geral, com o tempo de 1min31seg91, pouco mais de um segundo atrás da medalha de bronze. A vencedora foi Addie Beasley, com 1min22seg76. 


Nathan Alborghetti

Nathan Alborghetti na Croácia (Reprodução/Facebook)
Considerado um dos maiores talentos do esqui alpino brasileiro, Nathan Alborghetti participou de cinco provas entre os dias 10 e 20 de fevereiro. Ele esteve presente no Criterium Interapenninico, na Itália, e duas provas oficiais FIS Children na Croácia - as primeiras dele sob organização direta da FIS (Federação Internacional de Esqui). 

No dia 10, pelo Criterium, Nathan participou da prova de slalom e ficou na 10ª posição dentre 55 atletas que completaram a prova. Ele conseguiu o tempo de 39seg98. O vencedor foi Andrea Zampolini, com 36seg34.

No dia seguinte, no slalom gigante, um desempenho semelhante: foi o 11º num total de 55 atletas que completaram a descida, com o tempo de 1min00seg30. O vencedor foi Matteo Dati, com 56seg03. Por fim, no dia 12, ele ficou na 15ª posição do Super G, com o tempo de 59seg41. Matteo Dati venceu de novo, com 55seg76 e 48 atletas terminaram a prova. 

Depois disso, Nathan viajou para a Croácia e disputou duas provas oficiais na categoria infantil. No dia 18, no slalom gigante, ficou na 23ª posição num total de 38 atletas que completaram as descidas. O brasileiro fez o tempo de 1min51seg35 e oito segundos atrás do vencedor da prova, o francês Leo Anguenot. 

No dia 19, no slalom, Nathan caminhava para melhorar ainda mais sua posição. Na primeira descida era o 12º, mas errou a passagem na segunda e acabou ficando de fora da classificação final. O francês Leo Anguenot venceu novamente, com 1min43seg19. 

As provas FIS Children reúnem os melhores atletas jovens do mundo no esqui alpino. A presença de Nathan Alborghetti indica o respeito que ele vem adquirindo no circuito internacional e os bons resultados mostram que ele está no caminho certo para quebrar os recordes brasileiros num futuro próximo. 

Gabriela Neres

Antes de disputar o Mundial Juvenil de Biatlo (que você viu com exclusividade aqui), a jovem Gabriela Neres participou da Copa Sueca da modalidade, que reúne tanto atletas jovens como os mais experientes do país escandinavo. 

No dia 16 a brasileira participou de uma prova de sprint de 6.1 quilômetros em Sundsvall, na Suécia. Ela ficou na 21ª e última posição, com o tempo de 27min53seg0 e apenas um tiro errado. A vencedora foi Hanna Öberg, com 19min11seg3. 

Mas é na comparação com o pódio que analisamos o rendimento do atleta no biatlo. E nesse critério, podemos ver a evolução de Gabriela. Seu tempo foi 34,31% superior à média das três primeiras colocadas. Cada vez mais ela se aproxima do número simbólico de 20%, considerado nota de corte entre os adultos. A jovem brasiliense, revelada numa clínica de rollerski, está cada vez mais adaptada ao Biatlo e Cross-Country. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.