Um mês

Não esqueci não. Dois dias atrás passou um mês do grave acidente de Lais Souza na véspera dos Jogos de Inverno de Sochi. Ela esquiava em Park City nos dias que antecederam a confirmação da vaga brasileira no esqui aerials feminino - modalidade em que ela foi selecionada ao lado de Josi Santos em junho do ano passado.Muitos assuntos na cabeça me fez adiar o post que preparava para o dia 27.

Última foto antes do acidente (Reprodução/Facebook)
Nesses 30 dias tivemos muitas homenagens sobretudo nos Jogos Olímpicos, informações desencontradas no início, correntes, fé, críticas para a CBDN e tudo o que uma situação grave como esta reserva aos envolvidos. 

Não vou entrar novamente em questões polêmicas - estas deixo para aqueles que gostam de caçar bruxas. O importante, como sempre digo, é ressaltar a imensa força de vontade e recuperação da atleta brasileira. 

O Globoesporte.com fez uma bela matéria com o médico Antônio Marttos Júnior, do COB, e que dá todo o apoio para Lais Souza no Jackson Memorial Hospital em Miami, nos EUA. Lá ela receberá um tratamento pioneiro, inclusive com uma terapia de transplante de células nervosas, até hoje só usadas em pacientes paraplégicos. 

Apesar da brasileira ainda não conseguir mexer os braços e pernas, as constantes evoluções nos últimos trinta dias animam os médicos e dão um otimismo de que ela possa conseguir recuperar os movimentos. A jovem já consegue respirar e se alimentar sozinha, no que foi o grande avanço até o momento nesta primeira parte da recuperação.

A segunda etapa começa agora: Lais está sendo preparada para ter autonomia numa cadeira de rodas. "O que pode parecer pouco para todos nós, é muito para ela. Por isso, estamos extremamente contentes com todas as grandes vitórias que Lais teve até este momento", comentou o médico na matéria que você ler aqui

A expectativa é de que ela fique nos EUA por mais quatro meses, pelo menos. Nesse tempo ela seguirá com seus esforços diários e os pequenos, mas importantes, avanços na recuperação. Para quem entrou no Hospital Universitário de Park City com alto risco de morte, chegar aonde ela chegou apenas um mês depois é um feito e tanto. #ForçaLais

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.