Ótimos resultados


Você viu no post abaixo que dois brasileirinhos competiriam em Mundiais nesta terça-feira de Carnaval. Guilherme Grahn, no esqui alpino, e Gabriela Neres, no biatlo, colocaram à prova a evolução que eles demonstraram nesta temporada. E conseguiram. 

Guilherme antes de uma prova (Divulgação/CBDN)
Guilherme conquistou um bom resultado diante da elite da modalidade na sua faixa etária. Disputando a prova de slalom gigante no Mundial Júnior realizado em Jasna, na Eslováquia, ele se colocou no meio da tabela e já com um desempenho semelhante ao de Jhonatan Longhi, por exemplo. 

O brasileiro ficou na 65ª posição dentre os 89 competidores que completaram as duas descidas da disputa. O tempo acumulado foi de 2min18seg16 e ótimos 114.56 pontos FIS. Como ainda tem muito a evoluir (ele foi um dos mais jovens presentes), fica a expectativa de melhorar ainda mais o desempenho nos próximos anos.

A prova foi muito dura. Só para se ter uma ideia, o vencedor foi o norueguês Henrik Kristoffersen, com 2min03seg14. Ele foi nada menos do que bronze no slalom nos Jogos Olímpicos de Sochi e décimo colocado no slalom gigante. 

Um pouco depois, foi a vez de Gabriela Neres encarar uma pista de neve no Mundial Juvenil de Biatlo em Presque Isle, nos EUA. Disputando os 10 quilômetros individuais, a meta da jovem era melhorar seu desempenho em relação à última temporada, que marcou a estreia dela nos esportes de inverno. 

Gabriela no Mundial 2013 (Divulgação/CBDN)
E não poderia haver prova melhor do que essa. Se no evento de 2013 ela foi a última colocada, com 12 tiros errados e um tempo 69,6% superior ao pódio, agora ela conseguiu abaixar todas essas marcas. 

Gabriela ficou na 52ª posição, na frente de outras três rivais. Conseguiu o tempo de 49min47seg6, oito minutos abaixo do registrado no ano passado e ainda por cima errou sete tiros (contra 12 errados em 2013). 

Em relação à média das três primeiras colocadas, a brasileira teve um tempo 47,2% superior e continua se aproximando do valor simbólico de 20% no biatlo (considerada nota de corte nas competições adultas). Os números não mentem: ela melhorou bastante em apenas um ano. 

A brasileira encerra sua participação no Mundial Juvenil de Biatlo. Já ele ainda competirá nesta quarta-feira no slalom. Jovens de 17 anos, com muita disposição para aprender e cada vez melhores. Guilherme Grahn e Gabriela Neres mostram que o Brasil pode sonhar com um futuro melhor nos esportes de inverno. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.