Nevasca

Fernando Aranha desafiando a neve e os limites (Márcio Rodrigues/CPB/MPIX)

Se faltava neve nos Jogos Olímpicos, parece que sobra para os Jogos Paralímpicos. Mas nada que impedisse a prova de sprint 1 quilômetro do cross-country sentado (categoria LW 10-12)  nesta quarta-feira. O brasileiro Fernando Aranha esteve presente e foi uma das vítimas da tempestade no Centro de Laura. 

Ele ficou na 20ª posição entre os 24 atletas que terminaram a classificação, com o tempo de 2min29seg17. Os 12 melhores avançavam para as baterias finais e Fernando ficou na frente de um eslovaco, um francês e dois canadenses. 

Na bateria final o russo Roman Petushkov conquistou seu segundo ouro em duas provas da categoria e já se consolida como um herói em potencial do país-sede. Com 2min29seg4 na bateria com seis atletas, ele ficou na frente do seu compatriota Grigory Murygin, medalhista de prata, e do ucraniano Maksym Yarovyi, o bronze. 

“Essa prova é difícil e precisa de muito treinamento. Você pode até ter a força, mas, se escolher um caminho errado, fizer uma entrada errada, não dá para recuperar. A estratégia tem de ser aplicada perfeitamente.Na última reta, entrei em um ponto em que meu esqui ficou escorregando de lado, então, tive de fazer mais força para aliviar o atrito. Eu podia ter acertado um pouco mais, mas estou feliz por ter feito a prova. Agora, é pensar nos 10km", comentou o brasileiro no release da CBDN. 

A prova de 10 quilômetros (média distância) será a terceira e última de Fernando Aranha nos Jogos Paralímpicos. Ela acontecerá no dia 16, domingo, e encerrará a inédita participação brasileira no evento. Antes, na sexta-feira, teremos André Cintra no snowboard adaptado. A prova dele começará às 3h no horário de Brasília. 

Veja um compacto da prova de Fernando Aranha em Sochi, disponibilizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro

)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.