Resumão Olímpico Sochi #7

Dominique e Tina (Richard Heathcote/Getty Images)
Hoje é um daqueles dias que não há muito o que explicar em Sochi. A zebra continua solta nas provas mais radicais e ainda tivemos uma série de dobradinhas, inclusive com duas esquiadoras dividindo a medalha de ouro no downhill. Vamos ao resumão de notícias: 

Esqui alpino 

Tivemos a prova de downhill e simplesmente não acreditei quando vi o pódio com duas atletas na primeira posição. Por algum momento achei que era uma homenagem ou algo do tipo, mas não. A eslovena Tina Maze e a suíça Dominique Gisin dividiram a medalha de ouro. 

As duas fizeram um tempo inacreditavelmente igual. Completaram o percurso em 1min41seg57. Dessa forma, não houve espaço para a medalha de prata! A suíça Lara Gut ficou com o bronze, dez décimos atrás das duas. 

Combinado Nórdico

Hoje tivemos a estreia do Combinado Nórdico. Desconhecido no Brasil, a prova é inteiramente masculina e consiste num salto de esqui com 10 quilômetros de esqui cross-country. Nesta quarta-feira tivemos a prova de Normal Hill. 

O alemão Eric Frenzel, campeão mundial na prova LH (Large Hill), ficou com o ouro na rampa menor com 23min50seg2 na prova de cross-country e 131.5 pontos no saltos (a prova de esqui saltos serve para definir a diferença de tempo de largada no esqui nórdico). A prata foi do japonês Akito Watabe e o bronze do norueguês Magnus Krog. 

Patinação de Velocidade

A Holanda segue arrebentando na patinação de velocidade. Na prova de 1000 metros masculino, mais duas medalhas, uma de ouro, para os Países Baixos. Era uma das disputas que os holandeses não subiram ao pódio no Mundial do ano passado. 

O ouro ficou com o Stefan Groothuis, com 1min08seg39. O canadense Denny Morrisson ficou com a prata e o também holandês Michel Mulder garantiu o bronze. 

Campeão mundial da prova, o cazaque Denis Kuzin foi apenas o sétimo colocado. Vice-campeão mundial, o sul-coreano Tae Bum Mo ficou na 12ª posição. 

Luge

Após as provas individuais, nesta terça-feira tivemos as provas das duplas. Mas o roteiro continuou: ouro para a Alemanha, que dominou do início ao fim e ganhou mais uma medalha dourada. 

A façanha foi da dupla campeã mundial, composta por Tobias Wendl e Tobias Arlt. Eles completaram o percurso em duas descidas com 1min38seg933. A única surpresa ficou pela segunda posição. Vice-campeões mundiais, os alemães Toni Eggert e Sascha Benecken ficaram apenas na oitava posição. 

A prata foi da Áustria, com os irmãos Andreas e Wolfgang Linger, mais de meio segundo atrás do ouro. O bronze também ficou em família: os irmãos Andris e Juris Sics, da Letônia, surpreenderam e garantiram o lugar ao pódio. 

Snowboard halfpipe

Da mesma forma que aconteceu nas provas de slopestyle e no halfpipe masculino, a disputa feminina reservou algumas zebras para suas principais favoritas. A australiana Holly Crawford e a neozelandesa Rebecca Sinclair sequer passaram para a semifinal.

Lá, a espanhola Queralt Castellet não repetiu o bom desempenho da classificatória e ficou longe do pódio. A francesa Sophie Rodriguez não passou da sétima posição. Hannah Teter, medalhista nas últimas duas Olimpíadas, ficou de fora do pódio. Mas tivemos uma prova forte, mesmo assim. 

A norte-americana Kaitlyn Farrington surpreendeu, fez uma apresentação de 91.75 pontos na final e garantiu o ouro. A australiana Torah Bright, campeã olímpica em 2010, ficou com a prata e a também americana Kelly Clark, campeã dos Jogos em 2002, foi bronze. 

Patinação Artística

Tivemos também a definição das medalhas na disputa de par na patinação artística no gelo. O desempenho foi uma festa para a Rússia, que viu duas duplas garantirem a dobradinha no pódio. 

Campeões mundiais, Tatiana Volosozhar e Maxim Trankov garantiram 152.69 pontos no programa longo e 236.86 na somatória das apresentações. Desempenho impressionante e que garantiu o ouro. 

Os compatriotas Ksenia Stolbova e Fedor Klimov surpreenderam e garantiram a prata com 218.68 pontos na apresentação final (143.47 no programa longo). O bronze foi para os alemães Aliona Savchenko e Robin Szolkow, com 215.78 na nota final (136.14 pontos no programa longo). 

Curling

Mais sessões de Curling aconteceram hoje pela fase inicial da competição. Pela quarta sessão masculino tivemos EUA 9 x 5 Dinamarca; China 5 x 4 Suíça e Noruega 8 x 5 Alemanha. Pela quinta rodada, mais quatro jogos: China 11 x 7 Alemanha; Dinamarca 8 x 5 Suécia; Canadá 7 x 4 Rússia; Reino Unido 4 x 2 Suíça. 

No feminino tivemos apenas a quarta sessão. O Japão surpreendeu a Rússia e venceu por 8 a 4. A Suécia se recuperou e venceu a Coreia do Sul por 7 a 4, mesmo placar da vitória chinesa sobre os EUA. Por fim, o grande jogo da rodada e que mostrou porque o Canadá está muito forte em busca da medalha de ouro. As canadenses simplesmente venceram o Reino Unido por 9 a 6 e somaram a terceira vitória em três partidas.  

Hóquei no gelo

Tivemos clássico também no hóquei. Canadá e EUA, as duas potências da modalidade entre as mulheres, se enfrentaram nesta terça-feira. E o Canadá conseguiu uma virada no último tempo para sair com a vitória de 3 a 2 sobre as rivais. Ainda entre as mulheres, a Finlândia ganhou da Suíça por 4 a 3. 

Hoje também aconteceu a estreia da disputa masculina com dois jogos: a Suíça venceu a Letônia por 1 a 0 e a Suécia, favorita ao ouro, derrotou a República Tcheca por 4 a 2. 

Agenda

Amanhã teremos mais provas interessantes. O Biatlo, por exemplo, realiza a prova de perseguição 10 quilômetros masculino. Também teremos a prova de distance entre as mulheres no Cross-Country.

Entre as modalidades radicais, teremos a prova de esqui slopestyle masculino, a disputa por equipe de luge e a estreia do skeleton, com as duas primeiras descidas das mulheres. 

Valendo medalha, o dia reserva provas de patinação em pista curta e 1000 metros feminino na patinação de velocidade. Sochi ainda verá partidas de curling e hóquei no gelo e a realização do programa curto entre os homens na patinação artística. 

Medalhas

Vinte e quatro países já garantiram medalha nos Jogos Olímpicos de Sochi. O número é semelhante ao das últimas Olimpíadas. Destes, 14 países já conquistaram uma medalha de ouro. 

A liderança é da Alemanha, que possui um desempenho impressionante. Das sete medalhas que o país conquistou, seis foram de ouro e apenas uma de bronze. O Canadá também mostra força e está na segunda posição, com quatro ouros, quatro pratas e dois bronzes. Em terceiro, a Noruega também tem quatro ouros, três pratas e cinco bronzes. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.