Resumão Olímpico Sochi #6

Shaun White lamenta, mas depois parabeniza o rival: espírito (Getty Images)

O sexto dia de Sochi rendeu algumas emoções e quedas. Alguns favoritos caíram e outros souberam driblar os problemas para conquistar o ouro e entrar para a história olímpica. Vamos aos resultados:


Esqui livre Slopestyle

Estreante nos Jogos Olímpicos, a modalidade de esqui seguiu os mesmos passos do snowboard e derrubou muitos favoritos na pista de Rosa Khutor. Só para se ter uma ideia, a campeã mundial Kaya Turski, do Canadá, não passou da classificatória. 

Mas coube a uma outra canadense o show e a confirmação do domínio do país na modalidade. Dara Howell, 19 anos, vice-campeã mundial e uma das atletas mais regulares da temporada, fez uma primeira descida fantástica e ganhou o ouro com 94.20 pontos. A prata foi da norte-americana Devin Logan, também regular na temporada, com 85.40. O bronze foi da canadense Kim Lamarre, com 85 pontos. 

A final também teve momentos de apreensão. A australiana Anna Segal caiu forte na segunda descida e precisou sair de maca da pista. A pancada foi tanta que quebrou seus esquis. Mesmo assim, ela ficou na quarta posição, graças à nota da primeira descida. 


Biatlo

Se no slopestyle os favoritos tiveram dificuldades, no biatlo há poucas chances para zebras. Hoje aconteceu a prova de perseguição 10 quilômetros feminino. As principais atletas terminaram nas primeiras posições. 

A vitória ficou com a bielorrussa Darya Domracheva, com 29min30seg7 e apenas um tiro errado nos quatro estandes. A multicampeã Tora Berger, campeã mundial da prova, ficou com a prata. A eslovena Teja Gregorin ficou com a bronze. 

A única surpresa realmente foi a ausência de Krystyna Palka das primeiras posições. Vice-campeã mundial, a polonesa ficou na 34ª posição, com três tiros errados e um tempo de 32min56seg3. 


Patinação de Velocidade

O favoritismo também foi confirmado na prova de 500 metros da patinação de velocidade feminino, talvez a única que não seja dominada por holandeses. A sul-coreana Sang Hwa Lee mostrou porque é uma das lendas da modalidade. 

Campeã olímpica e mundial, a atleta venceu novamente com um tempo de 74seg70 (nos 500 metros são duas voltas no percurso e os tempos são somados) e ainda quebrou o recorde olímpico da prova. A russa Olga Fatkulina, uma das que poderiam ameaçar o reinado da Sang Hwa Lee, ficou com a prata e a holandesa Margot Boer ficou com o bronze.


Luge

Da mesma forma que a disputa masculina, a prova feminina no luge viu uma alemã dominar do início ao fim a disputa. Natalie Geisenberger não deu chances para as rivais e conquistou sua primeira medalha de ouro em Jogos Olímpicos. 

Bronze em Vancouver, Natalie evoluiu muito nos últimos anos. Na temporada passada, foi a campeã mundial e da Copa do Mundo. O ouro veio com o tempo de 3min19seg768, mais de um segundo à frente da compatriota Tatjana Huefner, medalhista de prata. A americana Erin Hamlin foi a bronze. 


Halfpipe

Bicampeão olímpico, Shaun White entrou em Sochi como a grande estrela não só do halfpipe, mas do próprio snowboard. Midiático, carismático e radical, era nele a figura perfeita para aproximar os atletas mais jovens ao Comitê Olímpico Internacional.

A expectativa era pelo tricampeonato olímpico, mas o norte-americano sucumbiu. Cometeu alguns erros, não fez uma boa apresentação e ficou na quarta posição, fora do pódio (dois pontos de diferença para o terceiro colocado).


Coube ao suíço Iouri Podladtchikov mostrar quem era, de fato, o favorito. Campeão mundial em 2013, ele foi ouro ao conseguir 94.75 pontos na sua segunda apresentação. A prata foi do japonês Ayumu Hiranu com 93.50. O também japonês Taku Hiraoka ficou com o bronze ao fazer 92.50. 


Esqui saltos feminino

Confesso que senti uma ponta de felicidade ao escrever o subtítulo acima. Após muitos anos de brigas e discussões em busca de reconhecimento no meio esportivo, as mulheres conseguiram entrar no esqui saltos olímpico.

A história é impressionante: as atletas chegaram a processar o COI para incluir a modalidade em Vancouver. O fato rendeu um ótimo documentário, "Ready to Fly", que conta a movimentação do time norte-americano nessa briga. É impressionante. Eu recomendo). 

Mas voltemos a disputa. A grande favorita era a japonesa Sara Takanashi, vice-campeã mundial e vencedora da Copa do Mundo na temporada passada. A atleta é conhecida pela sua regularidade, mas ficou apenas na quarta posição, fora do pódio. 

Outra favorita era a campeã mundial Sarah Hendrickson, dos Estados Unidos. Ela ficou na 21ª posição, bem longe do pódio. Também conhecida e primeira campeã mundial da categoria, a norte-americana Lindsey Van ficou na 15ª posição. 

Dessa forma, a alemã Carina Vogt ficou com o ouro ao fazer 247.4 pontos. A prata foi da austríaca Daniela Iraschko-Stolz e o bronze para a francesa Coline Mattel. 


Curling

Hoje aconteceram mais algumas partidas do torneio de curling entre homens e mulheres. Na disputa feminina, válida pela segunda sessão, o Canadá conseguiu uma ótima vitória de 9 a 3 sobre a Suécia, na reedição da final olímpica. 

A Coreia do Sul também venceu com facilidade o Japão por 12 a 7. Suíça e Dinamarca fizeram uma partida equilibrada, com vitória suíça por 7 a 6. A Rússia também teve alguma dificuldade e venceu os EUA por 9 a 7. Depois, pela terceira rodada, aconteceram as seguintes partidas: China 7 x 5 Rússia, para tristeza das donas da casa; Suíça 8 x 6 Coreia do Sul; Japão 8 x 3 Dinamarca; Reino Unido 12 x 3 EUA, com excelente destaque para Eve Muirhead, a capitã britânica. 

Entre os homens, também houve a disputa da terceira sessão, com os seguintes resultados: China 9 x 4 EUA; Noruega 9 x 8 Rússia (mas não houve dificuldade para a Noruega na reta final); Suécia 7 x 6 Canadá (outra reedição da final do Mundial no ano passado); e a apertada vitória do Reino Unido sobre a Alemanha por 7 a 6.

Hóquei

Mais duas partidas válidas pelo hóquei no gelo feminino. A Suécia venceu a Alemanha por 4 a 0 e segue firme na briga pelo ouro. Já a Rússia fez a alegria dos torcedores venceu por 2 a 1 o Japão. 

Patinação artística

Nesta terça-feira ainda tivemos o início da disputa dos pares na patinação artística no gelo com o programa curto. Não houve espaço para as zebras e a Rússia se encaminha para garantir mais uma medalha de ouro. 

A dupla do país, composta por Tatiana Volosozhar e Maxim Trankov, venceram  o primeiro dia de disputa com 84.17 pontos na nota (45.46 nos elementos técnicos e 38.71 na composição do programa). Campeões mundiais, eles se aproximam da medalha de ouro. 

A segunda posição ficou com os alemães Aliona Savchenko e Robin Szolkowy, atuais vice-campeões mundiais, com 79.64 pontos. Os russos Ksenia Stolbova e Fedor Klimov alegraram ainda mais a torcida ao conquistar a nota de 75.21 pontos. Na quarta-feira teremos a grande decisão das medalhas.

Agenda

Nesta quarta-feira teremos mais um dia agitado em Sochi. Começaremos com uma prova de downhill feminino, a modalidade mais arriscada do esporte. Depois têm as quartas e quintas sessões do curling, o programa longo da patinação de pares, hóquei no gelo, snowboard e patinação por velocidade. Teremos ainda as estreias do skeleton e do combinado nórdico. 


Medalhas

No quadro de medalhas, a Noruega assume a liderança e tem, por enquanto, 4 medalhas de outro, três de prata e quatro de bronze. Canadá é o segundo com 4 ouros, 3 medalhas de prata e 2 de bronze. A equipe alemã é a terceira colocada com quatro ouros e uma prata.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.