Resumão Olímpico - Sochi #3

Chloe (nº3) e a irmã Justine no pódio do moguls (Javier Soriano/AFP/Getty Images)

Acompanhei as primeiras duas descidas do luge, onde comentei pela Record News, de olho em alguns resultados que pipocavam aqui e ali. Foi um dia intenso, com as primeiras medalhas, e já um recorde olímpico quebrado. Vamos ao resumão de notícias, começando pelas medalhas no período da tarde. 

Recorde na patinação

Comecemos então pelo recorde. Como já era de se esperar, a Holanda dominou os 5 mil metros na patinação de velocidade. O pódio inteiro teve atletas do país. Mas o que fugiu um pouco da rotina é a diferença de tempo do vencedor Sven Kramer em relação aos compatriotas. 

Atual campeão mundial, ele foi o medalhista de ouro com um tempo acima da média. O holandês completou o percurso em 6min10seg76, nova marca nos Jogos de Inverno e quase cinco segundos à frente de Jan Blokhuijsen, prata, e Jorrit Bergsma, bronze e favorito por ter sido vice-campeão mundial em 2013. Desempenho fantástico, realmente. 

Lenda no biatlo

Ole Einar Bjoerndalen mostrou hoje que é uma lenda do biatlo e dos Jogos de Inverno. Longe dos holofotes, não era o grande favorito para a prova de sprint 10km masculino hoje. Mas não só conquistou o ouro como ainda igualou o recorde histórico de medalhas nas Olimpíadas geladas. 

A medalha é a 12ª da carreira do norueguês, que iguala seu compatriota Bjorn Dahlie, o único que tinha doze conquistas no currículo. A marca de Bjoerndalen veio com 24min33seg5 e apenas um erro no segundo estande de tiro (cada tiro errado é 150 metros a mais no percurso do atleta). 

A prata ficou com o austríaco Dominik Landertinger, com 24min34seg8 e desempenho perfeito no tiro. O bronze foi para o tcheco Jaroslav Soukup, com 24min39seg2. Campeão mundial e favorito, Emil Hegle Svendsen foi apenas o nono colocado. Vice-campeão mundial, o francês Martin Fourcade foi o sexto. 

Família Moguls

O pódio do esqui livre moguls ficou em família. As irmãos Dufour-Lapointe, do Canadá, ficaram com o ouro e a prata na final disputada hoje. Justine, a mais nova e terceira colocada no último Mundial, ficou com o ouro. Chloe, a mais velha, ficou com a prata. 

Justine teve 22.14 pontos e um desempenho de 74,80%. Chloe fez 21.66 pontos e 72,20% de desempenho. Elas desbancaram a campeã mundial, a norte-americana Hannah Kearney, que ficou apenas com o bronze graças aos 21.49 pontos e 71,63%. 

Interessante comentar que a família Dufour-Lapointe teve Maxime, a mais velha das irmãs, na disputa, mas ela ficou apenas na 12ª posição. 

Giro de resultados

Aconteceram também provas eliminatórias, sem contar medalhas. Hoje, por exemplo, tivemos duas partidas no hóquei feminino. Os EUA fizeram uma boa partida contra a Finlândia e venceram por 3 a 1. Já o Canadá, atual tricampeão olímpico na categoria, venceu fácil a Suíça por 5 a 0. 

Na patinação tivemos a sequência das provas por equipe, que também faz a estreia em Sochi. No programa curto da dança no gelo, a dupla norte-americana composta por Meryl Davis e Charlie White tiveram 75.98 pontos de nota e garantiram dez pontos para o país na disputa. O Canadá, com Tessa Virtue e Scott Moir, ficaram em segundo e os russos Ekaterina Bobrova e Dmitri Soloviev foram os terceiros. 

Depois, programa curto individual feminino (ainda por equipes), a russa Yulia Lipnitskaya levantou a torcida ao conseguir 72.90 na nota e ficar na primeira posição, rendendo dez pontos para o país. A italiana Carolina Kostner foi a segunda e Mao Asada a terceira. 

O dia também foi proveitoso para a Rússia no programa livre nos pares: Ksenia Stolbova e Fedor Klimov venceram com 135.09 pontos. Os canadenses Kirsten Moore-Towers e Dylan Moscovitch foram os segundos e os italianos Stefania Berton e Ondrej Hotarek os terceiros. Amanhã teremos a definição dos países medalhistas nesta disputa. 

Aconteceu ainda a classificatória da disputa Normal Hill do esqui saltos masculino (105 metros) e o austríaco Michael Hayboeck foi o melhor com 128.6 pontos. Ele foi seguido por Andreas Wenk, da Alemanha, e Reruhi Shimizu, do Japão. Os dez melhores do ranking, entre eles Gregor Schilierenzauer e Anders Bardar, já entraram pré-classificados na rodada 1, que definirá os finalistas. 

No luge, resta a constatação de que Felix Loch realmente é um fenômeno. Atual campeão olímpico, bicampeão mundial, ele teve que enfrentar o russo Demchenko e a torcida local para conseguir uma segunda descida excepcional. 

Ele já é o líder geral, com 1min44seg149, mais de dois décimos de segundos à frente de Albert Demchenko. Aliás, ele e o italiano Armin Zoeggeler mostram que no luge os "velhinhos" ainda têm vez! Demchenko tem 42 anos e vê a própria filha seguir carreira! Zoeggeler tem 40 e se continuar no pódio ele entrará para a história dos Jogos de Inverno: será sua sexta medalha em seis edições olímpicas diferentes!

Neste domingo teremos a estreia do downhill masculino no esqui alpino. Medalhas também serão distribuídas em provas de biatlo, cross-country, competição por equipe na patinação artística, no luge, no esqui saltos, no snowboard e na patinação de velocidade. Também teremos jogos de hóquei no gelo. 

Eu estarei nos comentários da Record News mais uma vez. Às 7h15 acompanharei as finais do snowboard slopestyle feminino e às 15h30 na final do esqui saltos masculino. Sempre com a locução de Eduardo Vaz! Conto com a audiência de vocês!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.