Resumão Olímpico Sochi #17

O penúltimo dia de Sochi reafirmou o domínio de alguns atletas e países em determinadas modalidades. Foram disputas emocionantes e a Rússia assume a liderança do quadro de medalhas com um ouro histórico no Biatlo. Foram oito medalhas distribuídas. Vamos a elas no resumão olímpico (lembrando que no esqui alpino alpino a descrição do pódio está no post sobre Jhonatan Longhi). 

Snowboard Slalom paralelo

Vic Wild deu show no snowboard (Mike Ehrmann/Getty Images)
A prova de snowboard slalom paralelo realizado neste sábado em Sochi foi um ode à boa fase vivida pelo norte-americano naturalizado russo Vic Wild. Campeão do slalom gigante paralelo dois dias atrás, ele fez a festa da torcida da casa ao conquistar seu segundo ouro. 

E não foi uma conquista qualquer. O atleta demonstrou enorme talento: soube colocar ritmo forte quando precisou, administrar vantagens e até se recuperar de uma maneira impressionante. Um segundo atrás do rival na semifinal, Wild simplesmente o atropelou na segunda descida para pegar a vaga. A medalha de prata ficou com Zan Kosir, a Eslovênia, e Benjamin Karl, da Áustria, foi o bronze. 

Na disputa feminina o dia foi das zebras. A tcheca Ledecka e a suíça Patrizia Kummer ficaram nas quartas de final. Dessa forma, a suíça Julia Dujmovits ficou com o ouro por ser a atleta mais regular. A alemã Anke Karstens foi a grande surpresa ao conquistar a prata e a sua compatriota, Amelie Kober, ficou com o bronze mesmo após ter machucado o cotovelo após uma queda. 

Cross-Country

Para fechar a disputa do cross-country feminino, mais um pódio triplo em Sochi. Dessa vez foi da Noruega, na prova de 30 quilômetros entre as mulheres. Marit Bjoergen, Therese Johaug e Kristin Steira fizeram a alegria da delegação norueguesa. 

Bjoergen conseguiu dar um sprint final e fechou a prova com 1h11min05seg2, levando o ouro com pouco mais de dois segundos à frente de Therese Johaug. O bronze foi de Steira, 23 segundos atrás das duas atletas.

O resultado coloca Bjoergen como a maior vencedora dos Jogos de Inverno. Foi a décima medalha da atleta, a sexta de ouro. Realmente impressionante. 

Patinação de Velocidade - Perseguição

Mulheres da Holanda em ação (Jung Yeon-Je/AFP/Getty Images)
Se no snowboard paralelo o domínio foi de Vic Wild e no cross-country foi da Noruega, na patinação de velocidade as duas últimas provas mostraram que a Holanda realmente está acima das demais delegações nessa modalidade. 

No masculino a Coreia do Sul até tentou complicar na grande decisão. Na primeira metade da prova o país asiático se alternava na liderança com os holandeses. Mas a partir da quinta volta, Sven Kramer, Jan Blokhuijsen e Koen Verweij começaram a apertar o ritmo e abrir vantagem. Resultado: ouro garantido com 3min37seg71 e novo recorde olímpico. A prata ficou com a Coreia e o bronze foi da Polônia, que surpreendeu o Canadá, então campeão olímpico, na final B. 

Nas mulheres a supremacia foi ainda maior. As holandesas fizeram três provas: quartas de final, semifinal e final e em TODAS conseguiram quebrar o recorde olímpico. Na disputa da final, contra a Polônia, abriram um segundo logo na primeira volta e ficaram mais de sete segundos à frente, com 2min58seg05. A Rússia, que esperava chegar na final, teve que contentar com o bronze. 

Biatlo

O time russo de Biatlo não havia conquistado nenhuma medalha de ouro na modalidade até então, apesar de contar com grandes favoritos. Mas neste sábado a tão aguardada medalha dourada finalmente chegou e pode ser a mais importante da Rússia nos Jogos de Inverno. 

Isso porque a arrancada de Anton Shipulin na parte final da prova de revezamento 4x7,5 quilômetros colocou o país na liderança do quadro de medalhas e com grande chance de ficar nessa posição até o fim do evento, neste domingo. 

A equipe russa cruzou a linha de chegada com 1h12min15seg9, três segundos e meio à frente da Alemanha. Essa diferença veio na reta final, quando Shipulin ultrapassou o alemão Schemppe numa arrancada impressionante e empurrado pela torcida que lotou o Centro de Laura. 

O bronze foi da Áustria, que soube aproveitar um erro da equipe norueguesa. Favorito ao ouro, o país liderava com relativa folga na terceira perna, com Ole Bjoerndalen. O multicampeão Svendsen fecharia o revezamento e tudo indicaria que confirmaria o título. Ledo engano. Os outros rivais encostaram e no último estande de tiro o norueguês errou nada menos do que três dos cinco alvos. Como punição, teve que dar três voltas numa pista de 150 metros e ficou mais de 40 segundos atrás, sepultando qualquer chance de medalha. 

Hóquei no gelo

A final entre Canadá e Suécia acontece neste domingo, mas no sábado tivemos a disputa do bronze. A Finlândia não tomou conhecimento e fez 5 a 0 nos EUA. Os gols foram marcados por Teemu Selanne, duas vezes, Jussi Jokinen, Juuso Hietanen e Olli Maatta. 

Medalhas e última agenda

Com o desempenho do Vic Wild no snowboard e Anton Shipulin no Biatlo, a Rússia consegue assumir a liderança do quadro de medalhas no penúltimo dia de Sochi. 

O país-sede tem onze ouros, dez pratas e oito bronzes. O time é seguido de perto pela Noruega, que também tem onze ouros, mas conta com apenas cinco pratas e dez bronzes. O Canadá é o terceiro com nove medalhas de ouro, dez de prata e cinco de bronze. EUA vem em quarto com nove ouros e a Holanda está na quinta posição com oito ouros. Decepção para a Alemanha. Líder do quadro de medalhas até esta semana, o país ficou estagnado com oito ouros e está na sexta posição. 

Restam apenas três disputas em jogo. Teremos a final do hóquei masculino entre Canadá e Suécia às 9h, as duas descidas do quarteto masculino do bobsled a partir das 6h e a prova de 50 quilômetros masculina a partir das 4h. Todos os horários aqui de Brasília. A Cerimônia de Encerramento começará às 13h. Estarei me despedindo de Sochi comentando a festa na Record News. Conto com sua audiência.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.