Resumão Olímpico Sochi #12

Agora com antecedência para não deixar o sono vencer. Os Jogos Olímpicos de Sochi já entram na sua reta final, com os últimos esportes estreando e alguns atletas já dando adeus à disputa. Mas ainda dá tempo, claro, de ver heróis serem consagrados diante de seus feitos. Vamos ao resumão de resultados do Brasil Zero Grau. 

Darya Domracheva caminha tranquilamente para o ouro (Reprodução)

Biatlo

Diante do sol que fez em Sochi nos últimos dias era impensável imaginar um forte nevoeiro atrapalhando o andamento das provas. Mas foi o que aconteceu hoje. O snowboardcross masculino e o biatlo 15 quilômetros dos homens tiveram que ser adiados por conta da má visibilidade das pistas. 

Mas antes deu tempo da prova de 12,5 quilômetros de largada em massa das mulheres no biatlo ser realizada sem maior problema. A disputa é uma das últimas da modalidades e serviu para consagrar de vez a bielorrussa Darya Domracheva. 

A atleta conquistou mais um ouro ao vencer a prova com 35min25seg6 e apenas um tiro errado no estande de tiro. A prata ficou com a tcheca Gabriela Soukalova e o bronze foi da norueguesa Tiril Eckhoff. A multicampeã Tora Berger, que dominou a disputa da temporada anterior, ficou longe, terminando apenas na 15ª posição.

Esqui Livre Aerials

A conquista de Darya Domracheva não foi a única da Bielorrússia nesta segunda-feira nos Jogos de Inverno. O atleta Anton Kushnir conseguiu desbancar o favoritismo chinês da prova de esqui livre aerials masculino. 

Não que seja zebra, afinal de contas a Bielorrússia também é uma potência do esporte. O problema é que Kushnir não era o atleta mais cotado dentro do próprio país (campeão olímpico em 2010, Alexei Grishin detinha a preferência). 

Mas ele ficou ainda na fase de classificação, com dois saltos ruins. A pista é extremamente difícil e fez outros favoritos caírem ao longo das fases classificatórias. No fim, dois chineses, o bielorrusso e o surpreendente australiano David Morris que chegou à final por aproveitar de quedas inesperadas dos rivais.

E não é que o improvável novamente aconteceu? Anton Kushnir conseguiu fazer o salto da vida, com 134.50 pontos, a maior nota do dia. Nem precisava contar com as duas quedas dos chineses que se seguiram. O ouro era da Bielorrússia! A prata ficou com Morris e o chinês Zongyang Jia terminou com o bronze. 

Esqui Saltos

Na última prova do esqui saltos em Sochi, o polonês Kamil Stoch quase faz história novamente. Após conquistar dois ouros nas provas individuais masculinas, ele ficou bem próximo de garantir o bronze também por equipes. 

A disputa aconteceu nesta segunda-feira. A seleção polonesa terminou na quarta posição, com o 1011.8 pontos. O ouro foi da Alemanha, que somou 1041.1 pontos com sua equipe fortíssima. A Áustria foi a prata com 1038.4 e o Japão ficou com o bronze num total de 1024.9 pontos. 

Patinação Artística 

Aconteceu a final da dança no gelo, uma das modalidades mais aguardadas de Sochi. Havia certa expectativa no ar diante das apresentações de canadenses, russos e americanos. Justamente este último conseguiu garantir mais um ouro em Sochi.

Os EUA viram o casal Meryl Davis e Charlie White encantarem o público com uma apresentação sem erros e problemas. Líderes no programa curto com 78.89 pontos, eles conseguiram 116.63 na dança livre e garantiram o ouro com 195.52.

A medalha de prata ficou com os canadenses Tessa Virtue e Scott Moir, que conquistaram 114.66 pontos nesta segunda-feira e terminaram com 190.99 no total. O casal russo Elena Ilinykh e Nikita Katsalapov ficou com o bronze ao totalizar 183.48 pontos. 

Bobsled

Zuvkov concentrado (Reprodução)
É, mas os russos deram o troco no bobsled. Aproveitando o fato de já conhecerem a pista (todos os esportes de trenós da Rússia abdicaram das últimas etapas de Copa do Mundo para treinarem no local), Alexander Zubkov fez quatro descidas perfeitas nas duplas masculina.

Ao lado de Alexey Voevoda, eles conseguiram tempo total de 3min45seg39, mais de meio segundo à frente da equipe suíça, medalhista de prata. Campeão mundial, o norte-americano Steven Holcomb garantiu o bronze para os EUA. 

Hóquei no Gelo

Duas partidas foram realizadas pela disputa de hóquei no gelo feminino - ambas válidas pelos playoffs. Os EUA não tiveram dificuldade para vencer a Suécia por 6 a 1 e o Canadá fez 3 a 1 na Suíça. Os dois países seguem cotados para manterem o domínio da modalidade nos próximos anos também.

Curling

Nesta segunda-feira aconteceram as últimas rodadas da primeira fase do curling. Nesta etapa todos jogaram contra todos e os quatro melhores avançam para a semifinal. O cruzamento é clássico: primeiro contra quarto e segundo contra terceira numa única partida: quem vencer, avança para a final.

Foram sete partidas das mulheres, válidas pela 11ª e 12ª sessões. O destaque fica por conta da ótima campanha canadense: nove jogos e nove vitórias. Nem preciso dizer que é o time a ser batido na modalidade. A seleção fez 9 a 4 na Coreia do Sul e acabou com 100% de aproveitamento.

Outros jogos da rodada feminina: Coreia do Sul 11 x 2 EUA; Reino Unido 9 x 6 Rússia; Japão 8 x 5 China; Suíça 10 x 6 China; Suécia 8 x 4 Japão e Dinamarca 8 x 7 Reino Unido. Além do Canadá, também se classificaram a Suécia, Suíça e Reino Unido, quatro das favoritas. Decepção apenas pela equipe russa, cotada para disputar pelo menos as semifinais, mas que terminou na nona e penúltima posição. 

Entre os homens, quatro jogos realizados: Suíça 6 x 3 EUA; Dinamarca 5 x 3 Noruega; Rússia 8 x 7 Alemanha e China 6 x 5 Reino Unido. Esta combinação de resultado fará com que Reino Unido e Noruega definam a última vaga para a semifinal em um jogo extra. Suécia, Canadá e China, nesta ordem, garantiram a vaga. 

Agenda

Nesta terça-feira teremos mais provas que valem medalhas. Além do snowboarcross masculino e biatlo 15 km masculino, que tinham sido adiados, amanhã ainda teremos mais surpresas. 

O dia começa com a prova de slalom gigante no esqui alpino feminino (com a brasileira Maya Harrisson). Mais medalhas serão distribuídas no esqui livre halfpipe com os homens, no combinado nórdico, no revezamento de 3 mil metros feminino na patinação de pista curta e nos 10 mil metros de patinação de velocidade masculino.

Ainda teremos o tie-break do Curling, as duas primeiras descidas das mulheres no bobsled (com as brasileiras presentes), nas provas de hóquei no gelo e as baterias iniciais da prova de 1000 metros feminino e 500 metros masculino na patinação de pista curta. 

Medalhas

Com as medalhas de hoje tivemos uma alteração significativa no quadro de medalhas. A Rússia avança e tenta tirar o domínio alemão nesta situação. 

A Alemanha continua forte, com nada menos do que oito ouros, três pratas e duas bronze. A delegação russa assumiu a primeira posição e não largou mais. São cinco ouros, sete pratas e seis bronzes. A Holanda ocupa momentaneamente a terceira posição, com cinco ouros, cinco pratas e sete bronzes.

Um comentário:

  1. "Aproveitando o fato de já conhecerem a pista..."

    What do you come up with more to explain the victory?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.