Pontos e mais pontos

Jaque no estande de tiro: excelente desempenho (Reprodução)

Com a aproximação dos Jogos Olímpicos de Inverno, os brasileiros estão encerrando a preparação e mostram, cada dia que passa, uma excelente forma para as provas olímpicas. É o caso da multiatleta Jaqueline Mourão.

Neste sábado a brasileira competiu na prova de sprint 7,5 quilômetros da Copa IBU de Biatlo em Ruhpolding, na Alemanha. Ela não só conseguiu índice para mais uma etapa da Copa do Mundo da modalidade (após as Olimpíadas) como também se classificou para a prova de Perseguição (as 60 melhores do sprint avançam). 

Jaqueline terminou na excelente 52ª posição, com o tempo de 24min47seg7 (73 atletas terminaram a disputa). E é no estande de tiros que ela mais evoluiu. Errou apenas dois nesta prova - cada tiro errado aumenta o percurso em mais alguns metros. 

Em relação à média das três primeiras colocadas, ela ficou 14,3% acima, novamente dentro do limite de 20%. A vencedora da disputa foi a alemã Kathrin Lang com 21min27seg9.  Bente Landheim, da Noruega, ficou com a prata e a russa Ekaterina Iourieva ficou com bronze. 

"Eu confesso que estava um pouco apreensiva, pois era a última prova preparatória e o circuito estava perigoso, com gelo e curvas muito técnicas. Várias atletas caíram durante os treinos e, como cheguei na noite antes da prova, não pude praticar bastante o circuito. Mas tudo deu certo, competi com a cabeça no lugar e sem correr riscos e o melhor: alcançamos mais uma vez o índice para a Copa do Mundo e classificamos para a Pursuit no dia seguinte (somente as top 60 classificam). Meu desempenho no tiro está sensacional, nas últimas 3 competições errei somente 3 tiros em 30 atirados!", escreveu Jaqueline em sua página no Facebook.

Esta foi a última prova da brasileira no biatlo antes dos Jogos Olímpicos. Mesmo classificada para a prova de perseguição neste domingo, abriu mão da disputa para se preservar nas provas de sprint (o foco nesta temporada dos brasileiros). 

A expectativa é que a atleta confirme a vaga inédita do Brasil nesta modalidade na segunda-feira (quando a IBU divulgará a lista final com as realocações). Antes disso, ela encerra a sua participação com a disputa da Copa do Mundo de esqui cross-country em Toblach, na Itália. 

Esqui Alpino

Quem também competiu no sábado de olho em Sochi foi o esquiador brasileiro Jhonatan Longhi. O atleta esteve em Turnau, na Áustria, numa prova de slalom. 

Ele manteve o bom desempenho das últimas disputas, com a 35ª posição dentre os 113 atletas que completaram as duas descidas. Ele fez o tempo de 1min31seg99 e excelentes 51.30 pontos FIS. O vencedor foi o alemão Alexander Vetter com 1min28seg11.

Nas últimas seis provas ele completou cinco e todas abaixo dos 62 pontos FIS - um desempenho fantástico para um brasileiro e que eleva a confiança para os Jogos Olímpicos daqui vinte dias. 

Ainda sem pretensão olímpica, o esquiador brasileiro Guilherme Grahn esteve em Lycksele, na Suécia, para uma prova de slalom. O atleta, porém, não completou a segunda descida e ficou de fora da classificação final. O vencedor foi o finlandês Juho Dahl, com 1min34seg13. 

Guilherme, porém, segue com crédito. O jovem está no seu primeiro ano entre os adultos e já flertou com o recorde brasileiro. Ele é um grande nome para os Jogos de 2018.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.