Tentativa

Marcos Batista foi para a disputa da Copa do Mundo de snowboard slopestyle pensando em diminuir sua distância para a classificação aos Jogos Olímpicos de Sochi. A tentativa feita na quinta, porém, não foi tão proveitosa como ele queria. 

O brasileiro não conseguiu avançar para as finais, que acontecem hoje em Cooper Mountain, nos Estados Unidos. Até aí nada demais. Afinal de contas são apenas quatro atletas de cada uma das quatro baterias que avançam para a grande decisão. 

Marcos Batista em 2010 (Divulgação/CBDN)
O problema é que Marcos terminou na 74ª posição na classificação geral (foi o 19º na sua bateria) com a nota de 28.33 pontos na sua apresentação. Noventa atletas participaram da etapa da Copa do Mundo. Na eliminatória, a maior nota foi do norte-americano Sage Kotsenburg, com 94.33 pontos. 

O desempenho ficou dentro da média do snowboarder brasileiro. O problema é que ele precisava somar mais pontos para seguir vivo na briga olímpica. Atualmente é o 35º na lista de realocações. São apenas 30 vagas do snowboard slopestyle em Sochi - a modalidade faz sua estreia olímpica. 

Sinceramente, acho que ficou difícil para Marcos Batista. Mesmo assim, ele merece todos os parabéns pela enorme dedicação de treinar e competir com o mínimo de ajuda. E ainda por cima brigar até o último dia pela classificação olímpica inédita. 

Esqui alpino

Na sexta-feira, foi a vez de Chiara Marano encerrar sua participação na Universíade de Inverno. A única representante do país no evento, porém, não teve uma despedida à altura.

Após completar o slalom gigante no sábado, a brasileira competiu no slalom nesta sexta-feira. Mas Chiara não largou na segunda descida da prova e ficou de fora da classificação final. A vencedora foi a sérvia Nevena Ignjatovic, com 1min38seg42. 

Ainda jovem atleta, tenho certeza que o torneio servirá de experiência para ela. Chiara segue firme na busca olímpica. Ela e Maya Harrisson disputam ponto a ponto a vaga do país no esqui alpino feminino. 

Entre os homens, o jovem Guilherme Grahn segue adquirindo "milhagem", por assim dizer. Nesta sexta e sábado ele competiu em duas provas de slalom na cidade sueca de Bydalsfjaellen. 

Na primeira delas foi o 23º dentre os 30 atletas que completaram as duas descidas da prova. Fez o tempo de 1min43seg29 e 80.64 pontos FIS. O vencedor foi o sueco Casper Stein-Lagerheim, com 1min34seg02. 

Na segunda Guilherme conseguiu melhorar a marca. Foi o 28º entre 47 atletas que completaram duas descidas, com o tempo de 1min36seg14 e excelentes 67.34 pontos FIS. Casper Stein-Lagerheim venceu novamente, com 1min29seg50. 

É impressionante o desempenho deste jovem de 16 anos. Guilherme mantém uma regularidade incrível e está sempre entre os 60 e 80 pontos FIS. Já é uma das melhores marcas do Brasil na história. Se ele manter o desempenho, certamente chegará na casa dos 30 pontos fácil (lembrando que no esqui quanto menos pontos tiver, melhor).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.