Mais um recorde brasileiro pulverizado

Leandro Ribela preparando para largar (Reprodução/Facebook)


Leandro Ribela e Fabrizio Bourguignon estiveram presentes em prova de esqui cross-country em Östersund, na Suécia. E o primeiro, assim como Jaqueline Mourão entre as mulheres, se especializou em quebrar seus próprios recordes brasileiros. 

Com muito custo consegui achar o tempo e a posição dos brasileiros num site sueco (o que a gente não faz para trazer todos os detalhes). Mas como ainda não domino na arte de elaborar pontos FIS, fico no aguardo pela confirmação do recorde quando a Federação Internacional divulgar em seu site. 

Por ora, posso dizer que Leandro terminou a prova de sprint de um quilômetro na 91ª colocação, com 3min10seg02, pouco mais de 25 segundos atrás do líder da classificação, o sueco Anton Lindblad. Fabrizio ficou na 97ª posição (a última entre aqueles que terminaram a prova), com 3min40seg36.

"Melhor marca pessoal e novo recorde brasileiro. As diferentes áreas trabalhadas começam a funcionar como um conjunto homogêneo, o que me motiva muito a seguir trabalhando em busca de melhores resultados. Claramente ainda há espaço para melhora e já identificamos onde, então só me resta seguir treinando em buscas destes acertos. Rumo a Sochi 2014!!!", escreveu Leandro em sua página no Facebook.

Quando sair o resultado oficial no site da FIS, o Brasil Zero Grau irá trazer todos os detalhes de mais um recorde brasileiro quebrado no esqui de fundo. 


Atualizando: O Brasil Zero Grau entrou em contato com o Leandro. Ele marcou 210.88 pontos FIS, quebrando seu próprio recorde brasileiro. O curioso é que seria recorde sul-americano também, mas um dia antes o argentino Carlos Lannes fez 209.74 pontos em Seefeld, na Áustria. Por um dia!!
 

Na Suíça

Em Goms, na Suíça, Jaqueline Mourão participou de uma prova de sprint 1,2 quilômetros nesta sexta-feira. A brasileira, como se sabe, intercala provas de biatlo e cross-country porque tudo leva a crer que disputará essas duas modalidades nos Jogos Olímpicos. 

Ela, porém, não foi tão bem assim como tem sido no biatlo. Jaqueline ficou na 30ª posição com 5min06seg20 e 301.94 pontos FIS (lembrando que no esqui quanto menos pontos tiver, melhor). A vencedora foi a suíça Nadine Fahndrich, com 4min16seg45 e 34 atletas completaram a prova.

Desempenho razoável, que serve de preparação para outras provas e que deve ser atribuído um pouco ao cansaço da atleta (viagens e provas em sequência). Tanto que Jaqueline já está em Seefeld, na Áustria, para mais provas de esqui cross-country neste sábado e domingo.


No esqui alpino

Os nossos atletas de esqui alpino também não tiveram um dia brilhante neste sábado. Jhonatan Longhi e Chiara Marano participaram de provas na Europa e tiveram dias melhores. 

Jhonatan segue com azar. Ele participou de uma prova de slalom em Geilo, na Noruega, e novamente não conseguiu completar a prova. Ele ficou na primeira descida e fora da classificação final. O vencedor foi o norueguês Jeppe Baardseth, com 1min30seg10. 

É a quinta prova seguida que Jhonatan não consegue completar. Não que vá interferir na sua classificação aos Jogos Olímpicos (ele está praticamente garantido), mas tantas provas incompletas atrapalham sua preparação. Que ele saiba manter a tranquilidade neste momento.

Chiara (Reprodução/Facebook)
Já Chiara esteve em Val Thorens, França, numa prova de slalom gigante e terminou na 32ª posição, com o tempo de  2min31seg14 e 137.97 pontos FIS. A vencedora foi a francesa Chloe Margue, com 2min15seg60. Quarenta e oito competidoras completaram as duas descidas. 

O resultado está longe dos melhores desempenhos de Chiara, mas também não é tão ruim assim. Porém ela gentilmente conversou com o Brasil Zero Grau e afirmou que poderia ter tido um bom resultado. 

"Hoje eu caí na prova. Escorreguei e voltei a subir uma porta. Não me machuquei, nem nada, mas o resultado não foi bom. A mão já está bem. O médico falou que posso esquiar sem problema porque só fraturou um ossinho e a dor já está passando. Amanhã tem slalom. Estou dando tudo nas competições e espero confirmar ainda mais meus resultados", comentou a jovem atleta. 

Esforço para confirmar a vaga olímpica. Chiara e Maya Harrisson disputam ponto a ponto a única vaga aberta na delegação brasileira em Sochi. Neste domingo, Chiara volta a competir na França, dessa vez no slalom.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.