Excelente resultado


Fabiana e Cristiano (Reprodução)
Ontem você viu a estreia de Chiara Marano nas provas de esqui alpino desta temporada olímpica. Faltava falar da estreia do bobsled brasileiro na primeira etapa da Copa América de Bobsled em Calgary, no Canadá. Não falta mais graças aos excelentes resultados conquistados pela equipe brasileira no país norte-americano.

A primeira corrida aconteceu nesta quinta-feira, no horário noturno aqui para os brasileiros (e peço desculpas aos leitores pela demora na postagem; questões pessoais, infelizmente). Até sábado acontecerão mais descidas que corresponderão à primeira e segunda etapa da competição que dá pontos para o ranking internacional.

E o excelente resultado veio com elas, as mulheres. A dupla Fabiana dos Santos e Sally Mayara terminaram numa ótima sétima posição num total de 16 trenós. Elas ficaram atrás apenas de duplas que participam da Copa do Mundo da modalidade.

As brasileiras conseguiram o tempo de 1min55seg56, pouco mais de dois segundos atrás das russas Olga Stulneva e Liudmila Udobkina, vencedoras da primeira etapa. A prata ficou com as também russas Anastasia Tambovtseva e Margarita Ismailova. As norte-americanas Bree Schaaf e Tracey Stewart ficaram com o bronze.

O desempenho não só enche de confiança as meninas (que ainda contam com Larissa como reserva), como também garante importantes pontos para a contagem do ranking internacional nesta temporada. Lembrando sempre que Fabiana bateu na trave na classificação olímpica em 2010 e conhece essa rotina.

Entre os homens o desempenho não foi tão bem assim, ainda mais se levarmos em conta que a disputa por duplas não é o forte do time brasileiro (poucas vagas para muitos países).

Edson Bindilatti e Odirlei Pessoni ficaram na 23ª posição (dentre 32 trenós) com o tempo de 56seg81. Eles ficaram de fora do grupo dos 20 primeiros que faziam uma segunda descida para definir o vencedor.


A dupla norte-americana Nick Cunningham e Abraham Morlu ficaram com o ouro ao marcarem 1min50seg31. A prata ficou com os russos Alexander Zubkov e Dimitry Trunenkov. O bronze foi para a dupla norte-americana composta por Cory Butner e Andreas Drbal.

Mas mesmo assim o Brasil teve uma novidade. A posição pode não ser vantajosa (a última), mas a CBDG colocou uma outra dupla na disputa. Márcio Forleo, brasileiro que mora nos EUA e já treinou com a seleção de bobsled de lá, compôs a dupla com Daividson de Souza, que treina pilotagem para 2018. Uma ação muito boa, sem dúvida, e que ajudará muito na contagem brasileira.

Mas o foco dos homens está na disputa do sábado, quando acontecerão as duas corridas do quarteto, onde a confederação acredita que possui chances reais de garantir a classificação olímpica. Nesta sexta, porém, mais duas corridas para as duplas masculina e feminina. O Brasil Zero Grau continuará de olho na participação brasileira.

Premiação

Fim de ano é assim mesmo: surgem premiações nas mais diversas áreas para homenagearem quem mandou bem ao longo deste ano. E o esporte olímpico não é diferente. O COB divulgou nesta semana os vencedores em cada modalidade e quem disputará o Prêmio Brasil Olímpico.

E os vencedores, ou melhor, as vencedoras de esportes de inverno fizeram por merecer a lembrança e o troféu. Nos esportes de inverno mais uma vez o prêmio vai para Isabel Clark. Já entre os esportes de gelo a escolhida foi a patinadora Isadora Williams.

Desnecessário explicar porque Isabel conquistou o prêmio. Ao longo desta temporada ela sempre figurou entre as 14 melhores atletas de snowboardcross mesmo aos 37 anos e certamente estará presente nos Jogos Olímpicos de Inverno. Apesar de achar que Jhonatan Longhi também mereceria a lembrança nesta temporada, não dá para falar de injustiça, muito pelo contrário.

Já entre os esportes de gelo aqui é um belo exemplo de uma unanimidade. Medalha de bronze no Golden Spin, melhor desempenho do país num Mundial Senior e, de quebra, a classificação olímpica  inédita na patinação artística no gelo. Na minha opinião, ela deveria concorrer entre as três melhores de todas as modalidades, mas confesso que sou suspeito para falar isso.

Rafaela Silva (judô), Poliana Okimoto (maratona aquática) e Yane Marques (pentatlo) concorrem ao prêmio Brasil Olímpico entre as mulheres. Arthur Zanneti (ginástica), Jorge Zarif (vela) e Cesar Cielo (natação) concorrem entre os homens. Meus votos? Poliana Okimoto e Jorge Zarif (só para ir na contramão da maioria, que deverá escolher Zannetti). A votação ao público será aberta no domingo, dia 17, no site do COB (aqui).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.