Duas boas notícias

A correria com o Troféu Nebelhorn foi tanta que o Blog deixou passar duas ótimas notícias no esporte de inverno do Brasil. Mas como sempre digo, antes tarde do que nunca. A jovem patinadora Karolina Calhoun e o atleta paralímpico Fernando Aranha somaram importantes conquistas para o Brasil. Vamos a elas.

História

Fernando Aranha (Reprodução)
Já que estamos falando de feitos históricos, vamos começar por mais um. Fernando Aranha conquistou nesta semana a vaga paralímpica no esqui cross country adaptado e será, ao lado de André Cintra no snowboard, os primeiros atletas brasileiros nos Jogos Paralímpicos de Sochi. 

Fernando, porém, contou com um pouco de sorte. Ele ainda se prepara para a temporada do hemisfério norte, onde tentaria o índice olímpico que bateu na trave nas suas duas primeiras provas. 

Mas nem precisa mais do índice. O Comitê Paralímpico Internacional fez um convite para o Comitê Brasileiro com o intuito de difundir as provas paralímpicas de inverno no país. Como o convite foi direcionado para o cross-country, Fernando, o primeiro brasileiro a participar de uma prova internacional, conquistou a vaga.

"É um momento histórico. Essa parceria bastante afinada fez o resultado aparecer. Então quero dar parabéns à CBDN, na figura do presidente Stefano Arnhold, e, principalmente, ao atletas André e Fernando. Parecia um sonho distante, mas agora se tornou realidade", afirmou Andrew Parsons, presidente da CPB. 

Agora Fernando Aranha utilizará a temporada do hemisfério norte para se aprimorar e melhorar seus resultados. Ele afirmou aqui no Blog que pretende terminar entre os dez primeiros nos Jogos Paralímpicos de Sochi. 

Futuro

Karolina com seu troféu (Reprodução)
Enquanto isso, lá nos EUA, a jovem Karolina Calhoun segue evoluindo e conquistando títulos. No último fim de semana ela ganhou a disputa da série final do campeonato interclubes do Sul da Califórnia. 

Os resultados oficiais ainda não foram divulgados, mas este não é o primeiro troféu da brasileira de 14 anos, atual campeã norte-americana da sua faixa etária e considerada uma das grandes promessas da modalidade. 

E Karolina não demonstrou só talento. Ela também mostra grande força de recuperação. Teve uma lesão no quadril e uma troca de treinadores antes de conquistar o mais recente título. Como a própria mãe, Nelia, escreveu no Facebook, "é uma temporada de aprendizado para ela". 

Mas as perspectivas são boas. Agora Karolina é treinada por Karen Kwan-Oppegard e Rafael Arutyuniun. A primeira é irmã e coreógrafa de Michelle Kwan, uma das melhores patinadoras da história, com duas medalhas olímpicas (prata em 1998 e bronze em 2002) e cinco vezes campeã mundial senior. 

Já Rafael foi treinador de Michelle Kwan e é o atual treinador de Ashley Wagner, atual campeã americana senior e quinta colocada no último Mundial. Grandes atletas contam com grandes staffs. Alguém aí duvida do futuro de Karolina?

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.