Vozes de Sochi - André Cintra (Snowboard adaptado)

André segura seu troféu (Renato L.Ribeiro/CBDN)
André Cintra está muito, mas muito perto de conseguir escrever a história. Basta ele ficar entre os 32 melhores no snowboard adaptado para conseguir a primeira vaga do Brasil nos Jogos Paralímpicos de Inverno. 

Nem é tão difícil assim, para falar a verdade. Ele é o 19º colocado no ranking e resta uma mísera etapa, que será disputada em agosto, na Nova Zelândia. É manter o bom desempenho e já planejar a viagem para Sochi, na Rússia, em março de 2014. 

O Eleito

E olhe que tudo aconteceu tão rápido, tão avassalador, que André nem teve tempo de se imaginar como um atleta paralímpico. Para falar a verdade, nem atleta ele era. Trabalhando na área de cosméticos, ele conheceu o snowboard apenas como uma diversão, um lazer a ser praticado nas férias. 

Mas é o típico caso do homem certo, no lugar certo. Na busca por um atleta pioneiro, que pudesse desenvolver os esportes paralímpicos de inverno, alguém se lembrou do amputado que descia de snowboard algumas montanhas na Argentina. 

Foi convidado para participar do Campeonato Brasileiro Open de Snowboard em 2012 e se tornou no primeiro atleta paralímpico de neve no país. Ele gostou da diversão e encarou treinos mais sérios para participar das duas etapas anteriores da Copa do Mundo, que servem de classificação olímpica.

"Recebi o convite para fazer uma prova porque o Brasil estava precisando de um atleta pra tentar uma vaga na Paralímpiada de Sochi. Aí eu fui, fiz a prova, fui bem sucedido e recebi o convite para participar da equipe do Brasil pra tentar essa classificação", afirmou.

Bem sucedido é pouco. André teve ótimos resultados. Espantou a todos por logo no primeiro ano já se posicionar entre os 20 melhores da sua modalidade e categoria. E é sempre bom lembrar: ao contrário de Fernando Aranha, outro paratleta, André nunca participou de provas de alto rendimento antes. 

"Avalio que tive bons resultados. Na verdade é o meu primeiro ano de competição, então nunca tive grandes experiências na neve e em competições, mas hoje, com a posição atual, estamos classificados para as Olimpíadas. Mantendo essa posição, estamos realmente classificados", afirmou.

Um sonho novo para um homem que até pouco tempo atrás não ia além das suas rotinas normais de trabalho. Agora, além dos cosméticos, ele passa semanas treinando na neve e discutindo provas. Virou, de fato, um atleta paralímpico. 

"É um sonho realizado. É um sonho novo, na verdade. Quando eu vi a primeira oportunidade de ser um atleta olímpico eu fiquei muito comovido, muito feliz, e realmente foi um sonho que se realizou e hoje estamos lutando para que seja cada dia melhor", concluiu. 

O final feliz já tem data: 7 de março de 2014, na abertura dos Jogos Paralímpicos de Inverno.


Confira entrevista de André Cintra ao Blog Brasil Zero Grau:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.