Sangue, suor e esqui

Soldado desconhecido (Acervo Fundação Getúlio Vargas)
Faço no título uma paráfrase com a famosa frase dita pelo primeiro ministro inglês na Segunda Guerra Mundial: "só vos peço sangue, suor e lágrimas". Até porque no caso da participação brasileira foi a chance de encontrar algo novo no meio de tanta destruição: o esqui alpino.

Isso mesmo. O professor Derek Destito Vertino, responsável pelo Portal FEB, entrou em contato com o Blog e gentilmente nos mostrou duas fotos de combatentes brasileiros nos montes italianos aproveitando os raros momentos de descanso para se aventurarem neste esporte de inverno. Já vem daí a predileção brasileira de treinar na Itália nos dias atuais.

Cabe aqui um breve contexto histórico: em 1942 o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial ao lado dos Aliados e criou a Força Expedicionária Brasileira. O país foi o único sul-americano que enviou tropas para combater no Velho Continente. Os brasileiros participaram da Campanha na Itália, libertando dezenas de vilas nos alpes e ajudando a derrubar a ditadura de Benito Mussolini.

Mais informações sobre a participação brasileira você pode encontrar no Portal FEB (clique aqui), do professor Derek. Lá tem mais fotos, detalhes e histórias desse grande momento do exército brasileiro.

Aqui o que cabe é o inusitado. Como se sabe, no Brasil não tem neve e os militares brasileiros foram enviados justamente para combater nos montes da Itália. Foi feito um curto treinamento num ambiente totalmente estranho a todos os combatentes.

Talvez (e aqui é pura especulação minha) o esqui alpino tenha ajudado nesta aclimatação. Até porque mesmo sem ser uma tropa especializada na neve, a FEB lutou ao lado de muitos combatentes com experiência nesse ambiente e que contava, olha só, com vários lenhadores e até atletas olímpicos, segundo o professor Derek!

Um dos soldados esquiando foi identificado. O nome dele é Antônio La Salvia, combatente de Bragança Paulista. Ele nasceu em 1921 e faleceu em 1990 na cidade do interior paulista.

Antonio La Salvia (A Casa das Laranjais)
Foi cabo da 2ª Companhia de Infantaria do 6º Regimento de Infantaria do primeiro escalão. Para quem mora em Bragança Paulista, ele morava na rua Coronel João Leme e trabalhava na farmácia São João, de seu tio João Diniz, na Rua do Mercado, ao lado do bar do João de Bellis, onde posteriormente seria instalada a Padaria Bragança (informações do livro A Casa das Laranjas - Crônica dos Bragantinos na Força Expedicionária Brasileira).

O soldado retratado no início do texto infelizmente não foi identificado. Se algum leitor do Blog souber a identificação ou onde posso obtê-la, por favor entrem em contato.

Aí precisaria buscar mais informações nos montes argentinos com os grã-finos brasileiros, mas até onde sei, este é o primeiro registro de um brasileiro praticando esportes de inverno! Duas décadas antes da primeira participação brasileira em Mundiais de esqui alpino. São os pracinhas brasileiros fazendo história até no nosso esporte de inverno!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.