Nova era

Emílio (ao centro) após eleição na sede da CBDG (Reprodução/Facebook)

Sexta-feira, 7 de julho de 2013, foi um dia histórico para a Confederação Brasileira de Desporto no Gelo. Após brigas judiciais, acusações de todos os lados que minaram a reputação da entidade e a eterna falta de dinheiro até para sonhar com uma possível vaga em Jogos Olímpicos, a confederação realizou sua eleição e escolheu seu novo presidente. 

Emílio Strapasson, que por seis meses foi o interventor que precisou realizar uma auditoria nas contas, foi eleito para o quadriênio até 2017 (aliás, deveria rever esse prazo. Troca de comando em véspera de ano olímpico é sempre temerário). 

Os clubes filiados estavam lá para exercerem o direito à voto. Atletas e ex-atletas também compareceram. Profissionais de modalidades de gelo que não tinha espaço na CBDG também foram até a sede, no Rio de Janeiro. 

Duas chapas foram inscritas. Além de Emílio, o ex-atleta de bobsled Rodrigo Palladino também se inscreveu para concorrer, mas abdicou da candidatura após tomar conhecimento do trabalho feito pelo candidato eleito e antigo interventor. 

Mas dificilmente a paz começará daqui em diante. Eric Maleson, presidente afastado judicialmente no fim de 2012, certamente está a par disso e tentará reaver seu mandato. Muitas novidades aguardam os bastidores da CBDG nos próximos meses, tenho quase certeza. 

De minha parte, quero dar os parabéns e boa sorte ao Emílio Strapasson nesta nova caminhada. Ex-atleta de Skeleton, esporte mais doido da carta olímpica de inverno, ele terá algumas missões já neste seu primeiro ano, na minha opinião: 1) abrir espaço para todos os adeptos e praticantes de esportes de inverno. O hóquei no gelo e a patinação artística possuem uma legião de fãs e praticantes no Brasil e confesso ter ficado feliz em ver Márcio Pereira e o pessoal da Federação Paulista de Hóquei no Gelo presentes no local. 2) democratizar o acesso a esses esportes, aproveitando a aproximação dos Jogos de Sochi e 3) cuidar dos atletas que ainda possuem chances de classificação olímpica (times de bobsled, os três patinadores e Leonardo Raschini no luge). 

Que seja o começo de uma nova era para os esportes de gelo no Brasil. Boa sorte e bom trabalho a todos nesta nova jornada.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Ana! Não esqueci não! É que o Curling merece post especial! hehehhehe

      Excluir

Tecnologia do Blogger.