Campeãs

Se o primeiro dia para Isadora Williams foi de imprevisto, o segundo não poderia ter sido melhor. Com uma apresentação segura, sem erros, ela conquistou o programa longo do Chesapeake Open no último sábado. 

A brasileira, que manteve o figurino e a mesma música para o programa longo nesta temporada, conseguiu ótimos 99.22 pontos na apresentação (48.72 nos elementos técnicos e 50.50 nos componentes do programa). Marca boa, sem dúvida, mas que pode melhorar ainda mais.

Ela ficou mais de sete pontos à frente da segunda colocada, Yang, que conquistou 91.77 pontos (ela havia sido campeã do programa curto no dia anterior). O bom desempenho empolga e enche de confiança a "pequena notável" para as próximas provas. Em julho ela estará no Liberty, um dos principais torneios dos Estados Unidos. 

O blog acompanhará de perto a preparação da brasileira. A partir de setembro ela é a esperança de uma classificação inédita para os Jogos Olímpicos na patinação artística. 

(Atualizando 1: o site oficial só irá divulgar os resultados no dia 1º de julho. Sinceramente não sei porque tanta demora)

(Atualizando 2: ao contrário do que escrevi nos outros posts, o patinador Luiz Manella não esteve presente na disputa do Chesapeake Open. O torneio estava no seu calendário de provas, mas ele alterou a programação nas últimas semanas. Aguardamos a definição para trazermos mais novidades do príncipe brasileiro)

Futuro campeão

Karolina no alto do pódio (Reprodução)
Mas não foi só Isadora Williams que conquistou título no fim de semana. A jovem Karolina Calhoun, também descendente de brasileira, foi a campeã do Campeonato Interclubes do Sul da Califórnia (tradução rápida minha de Southern California Interclub Championship.

Foi a primeira prova da brasileirinha na temporada. Logo no programa curto ela cravou 34.55 pontos e assumiu a liderança da competição. Depois, no programa longo, Karolina novamente foi a primeira colocada, com 93.26, totalizando assim 127.81 pontos nos dois programas. 

Karolina é a grande esperança brasileira para seguir o legado das patinadoras pioneiras do país e da Isadora Williams. A jovem nasceu nos Estados Unidos, mas quer competir pelo Brasil em Jogos Olímpicos. Talento para isso ela tem. Tanto que é a campeã americana na sua faixa etária (saiba mais da história dela com exclusividade aqui, no Brasil Zero Grau). 

Os resultados oficiais ainda não foram divulgados, mas nem precisa. Karolina mostrou, mais uma vez, do que sua habilidade é capaz. Parabéns às brasileiras pelas conquistas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.