Seletivas e classificatórias

Não sei se pode ser chamado de azar, mas justo quando a CBDG encontra dois patinadores talentosos para brigar pela vaga olímpica, terá que escolher apenas um deles para representar o país na repescagem em Obertsdorf, na Alemanha.

Foi o que a ISU (União Internacional de Patinação) determinou: apenas um atleta por país poderá disputar o torneio, que definirá as últimas seis vagas da patinação artística no gelo nos Jogos Olímpicos de Sochi, no ano que vem. 

No feminino a CBDG não encontrou muitos problemas. Isadora Williams é a única atleta brasileira a competir atualmente e tentará garantir esta classificação inédita. A questão envolve os homens: Luiz Manella e Kevin Alves estão em boas condições e buscavam este sonho. 

Agora, porém, ficará restrito somente a um a busca pela vaga. Para ser justo e atender um dos requisitos (de realizar uma classificatória), a entidade brasileira usará a Competição de Verão em Liberty, nos Estados Unidos, para selecionar este representante. 

O evento acontecerá entre os dias 16 e 20 de julho e contará com a presença dos dois atletas. Quem conquistar a melhor posição, fica com este direito. Uma forma justa para escolher o representante e evitar reclamações posteriores. 

Mas é uma pena que eles não possam dividir o ringue na Alemanha. Luiz possui a melhor posição do Brasil no Mundial Júnior desta temporada, com a 15ª posição. Mas foi Kevin Alves o pioneiro e quem voltou agora após um ano parado por conta de uma lesão séria no tornozelo. Me lembra um pouco a história do rei Salomão e o bebê com duas mães. Confesso que não queria poder decidir isso. 

Em todo caso, o Blog deseja boa sorte aos dois competidores, com a certeza de que o Brasil estará bem representado. Seja quem for o escolhido. 

Nova seletiva no bobsled 

Se não bastasse o processo de escolha da patinação artística, a CBDG também terá que realizar nova seletiva para a equipe feminina de bobsled. Sally Mayara e Estefhania Ribeiro, escolhidas em janeiro, não poderão seguir na equipe na temporada olímpica. 

Isso porque elas também competem no atletismo. Aliás, é desta modalidade que as duas atletas vivem e as duas não conseguirão conciliar o calendário de competições no atletismo com a temporada do bobsled. 

Portanto, no dia 10 de junho haverá uma nova seletiva para escolher duas mulheres para a equipe brasileira. Além de competirem nesta temporada, elas também serão treinadas para o próximo ciclo olímpico, a partir de 2015 (pensando nos Jogos de Inverno de 2018). 

O local ainda não foi definido pela confederação. A expectativa é divulgar nesta semana o horário, o clube certinho e mais informações sobre o evento. Como da outra vez, a seletiva é aberta a todas, mas lembro sempre que serão exercícios que trabalham força e velocidade. Portanto, se você não tiver fôlego, nem se inscreva. 

O dia 10 de junho também abre um novo período de avaliações físicas do técnico Cristiano Paes com a equipe masculina. Ele mora em Calgary, no Canadá, e virá especialmente para cá a fim de continuar com o treinamento estipulado no início do ano. Ele deverá ficar até o dia 15.  

Atualização: o facebook da CBDG acabou de divulgar que apenas a atleta Esthefania Ribeiro não conseguirá conciliar as provas de atletismo com a temporada olímpica no bobsled. Sally Mayara da Silva continua na equipe! 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.