Vice-campeã mundial

Luci Arnhold (Reprodução/Facebook)

Não, não é com tom de lamentação que faço o título deste post. Pelo contrário, é com enorme felicidade. Afinal de contas, ver uma brasileira ser vice-campeã em qualquer categoria nos esportes de inverno já é motivo de alegria e orgulho. 

Afinal de contas, estamos falando de um esporte que não pode ser praticado em terras brasileiras, sempre é bom lembrar. 

No caso, a protagonista foi a atleta Luci Arnhold e ela foi vice-campeã da Copa do Mundo Master de esqui alpino. Nesta última etapa, realizada em Sestriere, Itália, a brasileira ficou com a medalha de prata no slalom gigante, que definiria tudo na sua faixa etária (60-64 anos) - as três competidoras presentes chegaram rigorosamente empatadas na classificação geral. 

E não vem ao caso querer desmerecer a conquista afirmando que ela terminou na segunda posição com apenas três atletas em disputa. Até porque ela não competiu com quaisquer umas: a austríaca Elisabeth Kabusch e a francesa Evelyne Larchey-Wendling, oriundas de lugares com mais estrutura e mais propício ao esqui alpino. 

E saiba que a situação poderia até ser diferente, caso acontecesse as provas de slalom especial, adiadas na sexta-feira e canceladas oficialmente neste sábado. Luci poderia muito bem ter vencido a prova e somado os pontos necessários para conquistar o título geral. 

No slalom gigante, prova que definiu todo o campeonato, a medalha de prata da brasileira foi conquistada com o tempo de 1min04seg21, mais de cinco segundos atrás da austríaca, a campeã geral, e apenas vinte décimos de segundo na frente da francesa, mostrando como essa posição foi suada para conquistar. 

Os 40 pontos conquistados na última etapa fez com que Luci terminasse a Copa do Mundo com 240 pontos, dez a menos do que Elisabeth Kabusch. Aliás, da vencedora para a terceira colocada Evelyne a distãncia foi de vinte pontos, muito pouco num tour como é a Copa do Mundo Master de esqui alpino. Em todo o caso, o blog dá os parabéns à Luci Arnhold pela façanha.

Homens

Luci não esteve sozinha em Sestriere. Stefano Arnhold, presidente da CBDN, também competiu na última etapa da Copa do Mundo Master na sua faixa etária (55-59 anos). Numa categoria bem mais disputada, o brasileiro queria se manter entre os top 20.

Infelizmente não conseguiu. Na prova de slalom gigante neste sábado ele ficou na 19ª posição, com o tempo de 58seg67 e ficou de fora da zona de pontuação para a classificação final. O austríaco Hans Peter Pletzer venceu com 47seg77.

Dessa forma, o brasileiro continuou com os mesmos 53 pontos na classificação e caiu para a 21ª posição, apenas dois pontos atrás do suíço Philipe Reymond, uma posição acima. 

Mesmo assim, a posição de Stefano também tem que ser comemorada, pois ele ficou na frente de outros 21 competidores que também estiveram presentes em todas as provas do tour da Copa do Mundo. E isso não é nada fácil para um brasileiro.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.