Descanso

Reta final de temporada é assim mesmo. Alguns aproveitam para participar de suas últimas provas, outros já estão descansando e planejando viagens de lazer. Se isso já é gratificante para atletas normais, imagina então para adolescentes que deram o que falar nesta temporada. 

Nathan e Esmeralda (Divulgação/Bendita Ideia)
Claro que estou falando dos irmãos Esmeralda e Nathan Alborghetti. Após uma agenda cheia de competições locais e três provas internacionais, eles deram um tempo nos torneios de esqui alpino para concluírem os estudos e depois voltarem para Brasil, mais especificamente para Salvador, onde visitarão parentes e amigos. 

Esse descanso será merecido, sem dúvida alguma. Nathan participou de provas locais e foi o grande nome do Brasil no Troféu Borrufa, em Andorra, no mês de janeiro. Ele conquistou três medalhas, sendo uma prata na disputa do super gigante. 

O desempenho só não foi melhor porque ele pegou uma pneumonia em fevereiro e teve que abrir mão das disputas do Topolino e do Troféu Pinocchio. As duas provas, ao lado do Borrufa, são as três competições mais importantes do esqui alpino para atletas infanto-juvenis. 

Se Nathan não pôde representar o Brasil, sua irmã Esmeralda teve essa honra. Recém-recuperada de cirurgia no joelho, a jovem usou a temporada para readquirir ritmo na neve. Participou das três competições citadas e se não ganhou medalha, pelo menos atingiu seus objetivos pessoais. 

As aulas acabarão no mês de junho e logo em seguida toda a família Alborghetti virá ao Brasil para descansar. Mas as férias não serão apenas para descanso. Tanto Nathan quanto Esmeralda irão aproveitar o recesso da temporada no hemisfério norte para participar das provas na mini-temporada do hemisfério sul, sob olhares de toda a equipe adulta da CBDN. 

Isso mostra um pouco da força de vontade dos dois jovens quando o assunto é o esqui alpino. Tive uma conversa informal com o pai deles, Marco Alborghetti, pelo Facebook e ele me deu mais exemplos da dedicação que os dois tem em relação ao esporte. Convenhamos: não é fácil ver adolescentes tão dedicados à prática esportiva aqui no Brasil (não postarei a conversa pois foi num tom informal e sem o caráter de entrevista).

Diante de tudo isso, não tenho dúvidas de que os dois irmãos serão grandes nomes do esqui alpino brasileiro e seguirão com a tradição da modalidade aqui no Brasil. Sei não, mas acho que em 2018 e 2022 poderemos ter novos ídolos olímpicos de inverno. Bom descanso para a família Alborghetti! 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.