Emoções

Isabel Clark (Reprodução/Facebook)

São tantas emoções, já dizia aquele conhecido cantor. Realmente o esporte permite distintas sensações num mesmo dia, num mesmo momento. E quando falamos então de seleção brasileira, é claro que isso é levado à flor da pele. 

Na manhã desta sexta-feira, por exemplo, dois representantes do país no snowboard estiveram presentes em etapas da Copa do Mundo da modalidade na Europa. Mas eles conquistaram resultados distintos. 

Isabel Clark manteve a regularidade e conseguiu o 10º melhor tempo nas eliminatórias do snowboardcross em Veysonnaz, na Suíça. A brasileira completou os mil metros do percurso em 1min05seg90 e se garantiu logo na primeira descida. A canadense Dominique Maltais fez o melhor tempo com 1min03seg45. 

As 24 melhores atletas disputam hoje as baterias das quartas de final às 9h no horário de Brasília. Isabel está no quarto grupo, ao lado de Alexandra Jekova (Bulgária), Zoe Gillings (Reino Unido), Torah Bright (Austrália), Claire Chapotot (França) e Chythlook-Sifsof (EUA). 

São quatro baterias e as três melhores de cada uma avançam para as semifinais e assim até a final. Nesse caso as atletas largam juntas e acidentes são frequentes. 

Isabel tentará superar sua melhor atuação nesta temporada. Ela foi a 13ª em Telluride e Arosa, não conseguindo avançar às semifinais. O mais importante, porém, vem sendo conquistado pela brasileira. Ela se mantém entre as 24 melhores do ranking e dentro da vaga olímpica. 

No caminho

Marcos Batista (Reprodução/Facebook)
Quem também disputou eliminatórias no Snowboard foi o atleta Marcos Batista. Ele, porém, não repetiu o desempenho da brasileira e não conseguiu avançar à final do slopestyle na etapa de Spindleruv Mlyn, na República Tcheca. 

O brasileiro, que tenta uma vaga olímpica na modalidade que estreia em Sochi, ficou apenas na 28ª posição na sua bateria, insuficiente para ir à final que acontecerá neste sábado. Os dois melhores de cada bateria avançam direto para a final e os cinco subsequentes disputam semifinal atrás das outras quatro vagas. 

Marcos não foi bem nas suas duas apresentações e curiosamente conseguiu 22.66 pontos nas duas - apenas a maior é levada em conta. A melhor nota, por exemplo, foi do finlândes Janne Korpi, que conseguiu incríveis 94.66 pontos na sua segunda apresentação. 

O brasileiro terminou na 109ª posição (na frente de seis atletas) e não somou pontos no ranking da FIS. Ele luta para terminar entre os 30 melhores em janeiro de 2014, quando serão definidas as vagas olímpicas do slopestyle. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.