Recorde e desclassificação

Jhonatan Longhi (Reprodução/Facebook)

Por essa eu realmente não esperava. Jhonatan Longhi, único brasileiro presente na final do Slalom Gigante no Mundial de esqui alpino, tinha feito um excelente tempo e estaria entre os 60 restantes para a segunda descida. Entretanto, ele foi desclassificado pela organização da prova. 

Confesso que não sei o motivo oficial da desclassificação, mas geralmente, no esqui alpino, envolvem os gates que os atletas precisam cruzar. Talvez ele tenha perdido um gate a mais do que permitido. Talvez... 

Na parte de cima da classificação, o norte-americano Ted Ligety mostrou porque está em boa fase e conquistou mais um ouro com 2min28seg92. O austríaco Marcel Hirscher ficou com a prata e o italiano Manfred Moelgg foi o bronze. 

Não dá tempo para Jhonatan lamentar a desclassificação (até porque o tempo que ele fez o colocou entre os 60 melhores do mundo, algo fantástico para um atleta brasileiro). Neste sábado ele e Fábio Guglielmini competem nas eliminatórias do slalom, cuja final acontece no domingo. Boa sorte aos brasileiros. 

Recorde

Se no Mundial de esqui alpino o Brasil não teve um dia feliz, pelo menos no esqui cross-country tudo segue evoluindo. Leandro Ribela, Jaqueline Mourão e Mirlene Picin estiveram em Rogla, na Eslovênia, pela Copa Alpina e conquistaram ótimos resultados. O torneio é uma preparação do trio para o Mundial da modalidade, que acontecerá no fim deste mês. 

Leandro Ribela (Reprodução/Facebook)
O melhor desempenho foi a quebra do recorde brasileiro de Leandro Ribela. Nesta sexta-feira, o atleta competiu na prova de 3,75 quilômetros em técnica livre e conseguiu abaixar sua pontuação no ranking FIS (lembrando sempre que quanto menos pontos tiver, melhor)

Apesar de ter ficado na 40ª e última posição com o tempo de 10min15seg9, ele teve 195.11 pontos, o que caracteriza como novo recorde brasileiro na modalidade Distance, que envolve provas de 2 a 50 quilômetros (como o próprio Leandro nos ensinou ao blog). O recorde já pertencia a ele desde 2009 e era 0.02 pontos superior. Uma motivação a mais na véspera do Mundial, sem sombra de dúvida. 

Já entre as mulheres, Mirlene Picin e Jaqueline Mourão competiram também na prova de 2,5 quilômetros em Rogla. Destaque fica para o retorno de Jaqueline, que competiu no Biatlo nesta temporada e esteve presente no Mundial da modalidade nesta semana. 

Ela foi a 20ª de 24 atletas que competiram na prova e fez o tempo de 7min05seg3 e pontuação 127.66. Já Mirlene foi a 23ª com o tempo de 7min59seg00 e 238.75 pontos. 

Os três voltam a competir neste sábado em Rogla. O blog dá os parabéns aos atletas pelos resultados e deseja boa sorte nas próximas provas. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.