Agora, a vaga olímpica

Leandro Ribela despediu-se nesta quinta-feira do Mundial de Esqui Cross Country em Val di Fiemme, na Itália. Ele competiu na prova de Sprint 1,5 quilômetros no estilo clássico. Mas o melhor está por vir: ele busca o índice olímpico já neste fim de semana. 


Leandro na disputa do Mundial (Reprodução/ Fiemme 2013)
Que tal curtir a página do Blog Brasil Zero Grau no Facebook?

Falando do Mundial, o brasileiro terminou na 106ª posição na classificação final, com o tempo de 4min34seg13 e 368.32 pontos FIS. O desempenho, claro, foi incapaz de dar ao atleta uma das 30 vagas na final, que aconteceu ainda hoje (o russo Nikita Kriukov levou o ouro com 3min29seg75). 

Mesmo admitindo que não teria grandes chances, por se tratar de técnica clássica (o grande ponto fraco do Brasil no cross country), Leandro conseguiu terminar na frente de outros 23 atletas, o que por si só já é fantástico para qualquer atleta de um país sem incidência de neve. 

Fora do Mundial, Leandro não terá tempo para descansar. Já no sábado ele competirá em prova de Sprint em Hirschau, na Alemanha. Lá a técnica utilizada será livre. Por conta disso, a expectativa é grande para ele garantir o índice B para os Jogos Olímpicos em Sochi, no ano que vem. 

Para isso, basta completar a prova abaixo dos 300 pontos FIS (lembrando sempre que no esqui quanto menos pontos tiver, melhor). Para garantir o índice B, o atleta precisa ter uma média abaixo dos 300 pontos das suas cinco melhores marcas nos últimos 18 meses antes das Olimpíadas. 

"Não quero contar com o sprint do mundial pois é de clássico ( meu ponto fraco) e aqui será difícil conseguir bons pontos, por isso vou para Alemanha logo na sequência fazer um sprint F", comentou Leandro ao Blog.

Em provas de Sprint, Leandro competiu em quatro provas, todas abaixo dos 300 pontos (com exceção do Mundial, claro). Resumindo: se ele completar abaixo do índice nesta prova da Alemanha, ele já garante a classificação olímpica nesta prova. 

Aí entra o xis da questão. Com dois índices olímpicos B, Leandro terá que escolher apenas uma prova para competir nos Jogos de Sochi. E a surpresa vem aí: ele está propenso em correr as provas de sprint, foco maior da sua preparação nesta temporada. Seria a primeira vez que o Brasil teria algum representante de sprint no cross-country olímpico. 

"Esse ano meu treinamento jé esta bem mais voltado para as provas de curta distancia", admitiu. 

Depois dessa prova da Alemanha, Leandro competirá em Nove Mesto, na República Tcheca, numa prova de 4 quilômetros em técnica livre (mesmo sendo curta distância, os pontos são contados para provas de distance). 

Será a última prova dele na temporada do hemisfério norte. O blog deseja boa sorte ao Leandro na sua busca olímpica em Hirschau. 

Atualizando: parceiro deste blog, Leandro rapidamente entrou em contato para dar uma boa notícia, despercebida por este blogueiro que ainda ignora conceitos de matemática. Mesmo com sua pontuação na prova do Mundial, sua média já fica inferior a 300 pontos (284 pontos, para ser mais exato), o que lhe garante o índice olímpico B. A meta agora na Alemanha  e em Nove Mesto é abaixa-la mais, tanto no sprint, quanto no distance! Parabéns e boa sorte Leandro! 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.