Medalha brasileira em Andorra

Nathan com a bandeira brasileira no pódio (Reprodução/Facebook)

Nada como um dia após o outro. Esse deve ser o pensamento do jovem Nathan Alborghetti nesta terça-feira, pelo Troféu Borrufa. Após não conseguir completar a prova do slalom ontem, ele não só completou a do slalom gigante como conquistou mais uma medalha de bronze! A primeira do Brasil nesta temporada. 

O jovem teve o tempo acumulado de 1min54seg55 no slalom gigante sub-14 e ficou menos de três segundos atrás do vencedor, o espanhol Mikel Linacisoro. O russo Nikita Gurianov ficou com a medalha de prata. 

Esta é a terceira medalha (todas de bronze) de Nathan Alborghetti na história do Troféu Borrufa. Na última temporada ele já havia conquistado outras duas medalhas para o Brasil. 

Já Esmeralda Alborghetti, sua irmã e recém-recuperada de lesão no joelho, conseguiu completar a prova e ficou na 16ª posição no slalom gigante feminino sub-16. Ela teve o tempo de 2min06seg57 - a espanhola Nuria Tornero ficou com o ouro. 

Já Francisco Nobre ainda está com azar. Ele novamente não conseguiu completar a primeira descida e não entrou na classificação final do slalom gigante sub-16. O tcheco Jan Straka foi novamente o vencedor.

Os três jovens voltam à pista nesta quarta-feira, para a disputa do Slalom Super Gigante. É o penúltima dia de provas no Troféu Borrufa, realizado em Andorra. O Blog dá os parabéns à Nathan e deseja boa sorte aos brasileiros nesta quarta.

Outra jovem
Por falar em juventude, Gabriela Neres encerrou nesta terça-feira a primeira participação brasileira num Mundial Juvenil de Biatlo. A atleta esteve presente nos 10 quilômetros individual no evento que acontece em Obertilliach, na Áustria. 

E ela também conseguiu evoluir em comparação sua estreia. Se no sprint ela terminou na última posição, agora Gabriela foi a 87ª, na frente de quatro atletas que sequer conseguiram terminar a desgastante prova. A brasileira teve o tempo de 57min04seg3, com 12 erros no tiro. A russa Uliana Kaisheva foi a vencedora com 32min41seg1 e dois erros nos tiros. 

Esta é a primeira temporada em que Gabriela compete de fato. A jovem foi revelada na segunda edição da clínica de Rollerski, que acontece anualmente em São Carlos. Ela é apenas mais uma das jovens promessas de neve trabalhadas pela CBDN. 

Nem tão jovem assim
Quem era promessa e já virou uma realidade dos esportes de neve do Brasil é o atleta Jhonatan Longhi. Ele esteve presente numa prova nacional austríaca em Seefeld nesta terça-feira e conquistou dois bons resultados na véspera do Mundial da modalidade. 

Foram duas provas de Slalom. Na primeira delas, o brasileiro terminou na 18ª posição entre 25 que completaram a prova. Ele teve o tempo acumulado de 1min37seg91 e fez 65.78 pontos (sempre lembrando que no esqui quanto menos tiver, melhor). O vencedor foi o belga Kai Alaerts, com 1min30seg04. 

Na segunda prova do dia, Jhonatan conseguiu melhorar seu desempenho. Ele foi o 16º com 1min38seg58 e 59.87 pontos FIS. O vencedor dessa vez foi o sueco Anton Lahdenperae, com 1min31seg65. 

Este provavalmente foi o último teste de Jhonatan Longhi antes do Mundial de Esqui Alpino, que começa oficialmente no dia 5 de fevereiro. Ele estará representando o Brasil ao lado de Fabio Guglielmini, Maya Harrison e Chiara Marano, outros jovens esquiadores do país. 

Adulto e superação
Por fim, o esporte de inverno brasileiro voltou a escrever mais uma página na sua modalidade paralímpica. Após a estreia de Fernando Aranha no Cross Country adaptado (você pode conferir aqui a matéria completa sobre ele), nesse domingo foi a vez de André Cintra estrear. 

Ele, que foi o responsável por essa mobilização após participar do Campeonato Brasileiro de Snowboard, participou da prova de Snowboardcross num evento do Comitê Paralímpico Internacional em South Tahoe, nos Estados Unidos. 

O brasileiro não decepcionou. Competindo na categoria SB-LL (amputações acima do tornozelo), André foi o 25º num total de 27 competidores que estiveram presentes. Ele teve o tempo de 2min51seg05 e ainda conquistou três valiosos pontos, úteis para quem almeja a classificação para os Jogos Paralímpicos de Sochi. 

O vencedor da prova foi o norte-americano Evan Strong, com 1min38seg60. André volta a competir no próximo fim de semana. Ele estará presente em Copper Mountain, também nos Estados Unidos, para mais uma prova de Snowboardcross no circuito paralímpico. Boa sorte ao brasileiro!

PS: peço desculpas aos leitores, mas me enrolei com um artigo e não consegui adiantar o resumão de resultados nos esportes de inverno. Prometo trazer todos os detalhes até sexta-feira, com ênfase no Mundial de Bobsled.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.