História

A expressão "fazer história" é tão usada hoje em dia que ela já virou até mesmo um clichê. Atualmente, todo mundo "faz história" com alguma coisa. Mas são poucas pessoas que podem bater no peito e dizer que fizeram, de fato, história. A patinadora Isadora Marie Williams é uma delas hoje.
A brasileira Isadora (Reprodução/Facebook)

A brasileira conquistou a medalha de bronze no campeonato Golden Spin em Zagreb, na Croácia. Após terminar na quarta posição do programa curto no primeiro dia, Isadora conseguiu se superar e terminou na terceira posição do programa longo, neste sábado. 

Foram nada menos do que 95.68 pontos, sendo 49.21 no elemento técnico, acima dos 48 necessários do índice para o Mundial em 2013. Com a pontuação somada aos 47.84 pontos do primeiro dia (total de 143.52 pontos) e ainda a fraca atuação da russa Polina Shepelen no programa longo (foi apenas a sétima) garantiram a terceira posição para a brasileira de 16 anos. 

E foi histórico porque é a primeira medalha da história do Brasil na patinação artística do gelo em provas internacionais, seja adulto ou júnior. Não bastasse isso, foi num campeonato tradicional da modalidade na categoria adulta, onde as melhores do mundo sempre participam. Não à toa que a vencedora do Golden Spin foi a campeã mundial Carolina Kostner, da Itália - a russa Kristina Zaseeva ficou com a prata. 

O desempenho de Isadora é apenas mais uma das provas de que o esporte de inverno pode prosperar em países tropicais. Basta ter investimento, preparação e planejamento. É claro que ela "tem a sorte" de morar nos Estados Unidos, mas a falta de patrocínio, algo comum aqui no Brasil, também é uma realidade para a jovem. E quem a acompanha no twitter ou no facebook sabe do carinho que ela tem pelo Brasil e os brasileiros. 

Pelo twitter, a jovem, mas serena atleta conta um pouco da emoção de ter entrado para a história esportiva do país. Para este blogueiro, em inglês, ela comentou "Thanks. I'm so happy and blessed to represent Brazil", algo do tipo "Obrigada, estou tão feliz e abençoada em representar o Brasil (numa tradução rápida minha). Para Emílio Strapasson, interventor da CBDG, ela mandou uma mensagem em português: "Obrigada. Da muita emocao ver a bandeira brasileira sendo levantada e o Hino Nacional Brasileiro sendo tocado" (sic). 

Como se vê, uma atleta feliz, mas cautelosa na comemoração. Até porque, como a própria Isadora disse aqui, ela sabe de seu potencial. Então a brasileira está mais do que preparada para continuar "fazendo história" no nosso esporte olímpico.

Atualizando: Faltava a foto do pódio para garantir a história!
Kristina Zaseeva, Carolina Kostner e Isadora (Dunja Ivic)

Biatlo e Cross Country
O Brasil também esteve presente na disputa de provas do Esqui Cross Country e do Biatlo. Leandro Ribela, Fabrizio Bourguignon e Aldo Ramos participaram dos 10 quilômetros de velocidade de Cross Country na Copa Alpen em St. Ulrich (Áustria). Mirlene Picin e Jaqueline Mourão estiveram na terceira etapa da Copa IBU de Biatlo em Ridnaun - Val Ridana (Itália). 

No Cross Country foi a vez de Aldo Ramos não conseguir completar os dez quilômetros da prova. Com isso, Leandro e Fabrizio dividiram as últimas posições dos que conseguiram completar a prova. 

Leandro terminou 122ª posição, com o tempo de 32min50seg3 e pontuação FIS de 388.76 pontos (acima do índice B para o Mundial). Já Fabrizio foi o 123º, com 38min03seg8 e pontuação de 575.52. O vencedor da prova foi o suiço Dario Cologna, com 22min22seg9. 

No Biatlo, a brasileira Jaqueline Mourão conseguiu um ótimo desempenho na prova de Sprint 7,5 quilômetros neste sábado. Ela terminou na 47ª posição, com o tempo de 28min01seg2, 13,42% acima da média das três primeiras colocadas e três tiros errados. O índice para o Mundial é estar abaixo dos 20% e por pouco ela não quebra o recorde brasileiro novamente. 

Já Mirlene Picin terminou na 76ª posição, com o tempo de 32min41seg7, pouco mais de 32% acima da média das primeiras colocadas, com seis tiros errados. A vencedora foi a norueguesa Marte Olsbu, que completou o percurso em 24min09seg9, sem errar nenhum tiro. 

As duas brasileiras voltam a competir neste domingo, na Copa IBU, dessa vez pela disputa de 10 quilômetros perseguição. É a última atividade brasileira neste fim de semana na temporada de inverno do hemisfério norte. 



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.